F L X G Instagram

Relato de Parto por Raffael, pai da Bella

Sabe aquele relato que Você começa a ler e já se emociona!!! Raffael me emocionou várias vezes em nossos encontros , e logo no primeiro já me fez ver o quanto amava sua mulher Samantha e sua filha Bella, que estava ainda na barriga.

Me chamou pra conversar e queria oferecer tudo de melhor pra sua esposa, pra que ela realizasse o grande sonho de ter um parto natural… e o restante vcs  vão ler o que ele mes o escreveu!!! 

E eu, só tenho a agradecer imensamente por cruzar nessa Vida com pessoas tão especiais como essa família que mora em meu coração! 💟


Relato de parto, por Raffael, pai de Bella 

Samantha = Mamãe

Acho injusto dizer que o trabalho de parto se inicia quando há contrações ou dilatação. Pra mim o trabalho de parto se inicia a partir do momento em que se descobre a gravidez.  Por que é naquele momento em que tudo muda.

Quando eu descobri que ia ser Papai minha reação foi não ter reação… eu viajei nos próximos 30 anos em 30 segundos, foi como levar uma anestesia geral.

As quarentas semanas voaram, cada presente, cada detalhe na decoração, cada ultrassom e cada leitura foram partes de um aprendizado único que será a paternidade.

A espera do grande dia!!!

Foram 40 semanas e 6 dias esperando as benditas contrações ritmadas. A ansiedade se tornou uma amiga e nesse momento já estávamos indo ao hospital de dois em dois dias. Cardiotoco virou amigo também. Fazer esse monitoramento é essencial para a saúde da mamãe, do bebê e do papai também.

E uma vantagem de ir quase todo dia no hospital é você conhecer e ver o trabalho das equipes de perto e a toda sua infraestrutura.


Nossas escolhas :

Doula, Parto Adequado e Hospital.


Doula significa “a mulher que serve” e no contexto de parto é uma definição incrível porém como doulando eu definiria Doula como a “Mãe do parto”. A Samantha que me apresentou essa profissão e eu de cara me encantei e deixamos para decidir se teríamos uma “mais pra frente”. Só que o tempo na gestação trabalha no modo velocidade da Luz e quando reparei já estávamos com 8 meses e decidi que a Doula seria o presente de aniversário para Samantha.

 Não demorei 5 segundos, encontrei e escolhi a Adriana Vieira e foi uma das melhores escolhas que eu ja fiz na minha vida - Ponto para o papai 😁. 

A Dri nos ajudou em tudo, fez com que eu me sentisse preparado para participar ativamente do parto, tirou todas as nossas duvidas, deu conselhos que levaremos para a vida toda e foi fundamental na hora H, contarei em detalhes mais para frente a participação dela.

A Dri também influenciou na escolha do Hospital.


O parto adequado e o Hospital

O sonho da Samantha era ter um parto natural, sem intervenções e com liberdade pra tudo. E o Hospital São Lucas com o seu projeto de Parto Adequado era o local ideal para que o nosso sonho fosse realizado. Fizemos uma visita e conferimos de perto tudo aquilo foi elogiado do hospital e se apaixonamos pela completa suite de parto humanizado. Mas o melhor é você sentir que o Hospital é Humanizado, que sua familia está segura e que farão todo o possível para que o seu parto seja do seu jeito. Por esse motivo decidimos que iriamos fazer o parto com o plantonista do hospital, além de economizar um bom dinheiro.


O Grande Dia!!!

Fomos ao hospital no dia 20 por volta de 19h, estava tudo calmo, porém como a Samantha é hipertensa e a gestação se aproximava das 42 semanas,a médica recomendou voltar no dia seguinte pela manhã e induzir o parto.

 Não era o nosso desejo, mas em nosso curso com a Doula ficamos cientes dessa possibilidade e de todos os mitos e verdades sobre o parto.  Nos  preparamos para tudo. Havia uma dose de ansiedade perante a ideia de induzir o parto com a chegada das 42 semanas. Mas nada como ter uma Doula, e nós temos “A Doula”. 

Falamos com ela que íamos induzir o parto e ela nos apresentou o Shake do Parto, foi a sua jogada de mestre. Compramos os ingredientes e a Samantha tomou no dia 20 às 9h. As 10hs estávamos no hospital e a Samantha sentia “umas coisas”. Por volta de 12h fomos encontrar nosso amigo cardiotoco e ele nos avisou.. Habemus Contração!!! A emoção tomou conta e eu senti algo diferente. O GO examinou e disse que havia 3 dedos de dilatação e que estava com cara de que ia engrenar. Ele e nossa Doula recomendaram ir pra casa, fazer caminhada, exercícios na bola e almoçar. Voltamos andando, o hospital fica a uns 2km de casa e no caminho eram 4 a 6 passos e uma contração. Chegamos em casa, tomamos banho e almoçamos. E as contrações continuavam a todo vapor só que com mais intensidade. A Samantha tentou sentar na bola e as contrações não deixavam. Peguei o app contrações e começamos a medir… estavam de 5 em 5 e durando um minuto. Eitaaaaa, peguei o telefone e liguei pra Doula, pedi um cabify, troquei de roupa e estendi umas roupas.. tudo ai mesmo tempo hahaha. It’s timeeeeeeeeee. A Sah sentiu uma contração no carro, o motorista ficou branco hahaha. Chegamos as 17h e fomos direto pra Sala do GO… 5 a 6 dedos de dilatação.. vamos ser internados. Nesse momento você esquece tudo e só um pensamento vem na mente. Minha filha vai nascer, Deus confiamos em Ti.


Chegamos a Suite 1 do Projeto de Parto adequado, era a melhor suite, a única com banheira e ela estava lá esperando quem estava esperando. Não acreditava que tudo estava dando certo, sem indução e no melhor quarto. As contrações continuam e vamos nos preparando. A Samantha, me desculpem mas que MULHER DA P*, estava dançando fitdance com 8 cm de dilatação. 

Usamos o TENS, um massageador que foi excepcional no alivio na dor nas costas. 

Para chegar em 9 não demorou, as médicas ficaram impressionadas com a velocidade. Era hora de avisar a Familia, tínhamos um grupo no whats só esperando o sinal verde.

 Adicionamos, nossos Pais, irmãos e os Padrinhos… a Doula disse “pode demorar ainda”, mas eu ansioso e teimoso avisei. Foi como avisar sobre um furacão.. um caos no whats e eu não podia dar atenção por que a Sah precisava de mim 110% com ela.

A familia chegou e a Sah mandando ver. Muita força e muita dor. Apesar de não ser uma dor de sofrimento era uma senhora dor e como nada é fácil o processo parou. Ficamos nos 9 dedos e não evoluía. A todo momento eles examinavam a Bella, estava tudo ótimo, mas as contrações estavam mais lentas, longe uma das outras. Que ironia, sem contração sem dor e sem dor nada da Bella. Nesse momento a Sah começa a cansar, imagina você sentir dor, fazer força e nada acontecer? Tentamos de tudo, usamos todos os aparelhos. A banheira não durou 3 minutos, ficar na cama era impossível ( a Sah odiava a cama ) e o lugar mais agradável era debaixo do chuveiro, a água quente era um alivio. Toda contração vinha com uma massagem da Doula ou minha. Mas não tinha evolução. A médica fez um exame de toque e disse que tinha parado nos 9 e a Bella estava alta. A agua quente virou gelo, nesse momento eu considerei ir para a cesárea, era difícil ver o amor da sua vida sofrer. Ela dizia que não dava mais. Mas nossa Doula entra em ação… 

 Com paciência (eu desenvolvi isso no parto kkkkkkk) e um jeitinho conseguimos. A médica vai estourar a bolsa pra bebê descer…e cadê a bolsa? Já estourou? A outra médica também não acha e faz uma cara feia… a esperança desce pelo ralo. Para ajudar nas contrações a médica sugere colocar uma dose minima de oxitocina na veia, a Sah resiste mas conseguimos com jeitinho, pois era mesmo necessario!

Não via a luz no fim do túnel, mas quem tem a Adriana como Doula tem tudo. Ela sugere a utilização da banqueta de parto, um banquinho que a mulher senta e faz força com ajuda da gravidade. A médica gostou, eu curti, e a Samantha queria tudo que não estava planejado, anestesia, cesárea e se pudesse deixar a Bella mais tempo no forninho e desdilatar (inventei essa palavra kkkk) ela topava. 



Convencemos ela falando que era a ultima tentativa e ela topou apenas por que ia sair da cama kkkkkkk. A Doula sugeria a posição, eu tenho que ficar atras da Sah fazendo massagem nas costas sem parar e ela canalizando a força na região da pelve. A Samantha é a mulher maravilha da vida real, tirou forças não sei de onde, e atingiu a dilatação total. Uffa evoluimos! Durante esse período eu escapava para ir buscar agua e ir no banheiro.

A familia me viu e me seguiu, ficaram na porta. A Doula fez cara de brava pra mim, eles podiam arruinar tudo, mas graças a Deus não interferiram. Certamente eles tinham vontade, estavam com a ansiedade a mil. Eu tentava dar uma noticia, mas podia piorar. Voltando pra sala de parto eu paro na porta e vejo duas médicas, duas enfermeiras, uma doula e a Sah. E cadê a Bella? As médicas examinam e avisam ela ainda está alta! A Sah não reage bem, ela está no seu limite físico, diz que não aguenta mais, que a Bella é muito grande e não vai passar e pede cesárea. 

Eu tinha que manter a calma e jamais concordar com ela sobre desistir, não era esse o objetivo e percebi que estava preparado para continuar remando com ela. Você pode se perguntar… ah falar é fácil não é você que sente a dor. Sim, a dor física é toda da mamãe mas a dor emocional ela é do casal. Tem que ser forte pra ver sua mulher implorar algo, que você no fundo sabe que vai acabar com a dor naquele momento, e dizer “vamos tentar algo”. Por que não se pode dizer não, aliás quando a mulher está na Partolandia uma palavra mal dita pode acabar com tudo.

 Nossa Doula havia falado de uma posição umas duas vezes, mas era na cama e a Sah odiava a cama. Ela insistiu e com um jeitinho conseguimos levar a Sah, lembro de falarmos se não der certo a gente vê o que faz. A posição era meio maluca, tinha uma inclinação, eu segurava uma perna e a Doula a outra. Quando veio a primeira contração as médicas soltaram um “isso Sah” mas com uma empolgação fora do comum. Na segunda contração a empolgação permanece e na terceira vejo a enfermeira preparando alguma coisa. Meu coração dispara, sinto que minha filha vai nascer. Na quarta contração a Doula se empolga, abaixa a perna da Sah no meio da contração, ela se ajeita e pega o celular. As duas médicas estão de joelhos, parecem jogadores de futebol quando tem disputa de pênaltis. Vem a quinta contração e a empolgação das médicas é surreal. Eu consigo esticar o pescoço e vejo os cabelos da minha bebe. Nesse momento começo a chorar e dizer pra Sah “ela tá vindo amor”… ela já está além do limite, disse que não aguentava mais e eu disse agora não tem como ser cesárea, ela tá aqui e eu to vendo a cabeçinha dela. A médica concorda comigo e diz vamos Sah. A Sah reclama de uma queimação, a Doula já tinha falado que na hora H ela ia sentir isso. A empolgação está a mil e vem a sexta contração e com ela um fluxo alto de sangue, me assustei mas mantive a pose. A vontade era de descer e puxar a cabeça dela kkkkkkk. A médica examina, a Sah reclama e vem a sétima contração e com ela algo inexplicável, um mix das melhores coisas que existem, um grito de alivio e um choro maravilhoso. Minha filha sai meio girando e muito brilhando. Choro, dou risada, fico bobo e a médica coloca ela no peito da Sah, aquele chorinho e aquela emoção. Fiquei tão empolgado que esqueço de cortar o cordão, saio da sala e abraço a familia.



Volto e acompanho todos os procedimentos, a Bella não saiu dos nossos olhos por um segundo. A Sah está exausta, ainda tem o parto da placenta, mas naquele 21 de abril de 2018 as 2:21 ninguém era mais realizada do que ela. Foi difícil, pensamos em desistir mas no fim tudo deu certo. Gente esse tipo de parto não pode ser chamado de normal. A Bella veio ao mundo num parto natural, espetacular e excepcional.


Agradecimentos:

A toda equipe do Hospital São Lucas, fomos super bem tratados por todos. A nossa equipe de parto fenomenal. Dras. Simone e Laura e enfermeira obstetra Renata e a Claudia vocês são espetaculares. 

A nossa querida e amada Doula Adriana Vieira que foi essencial em tudo, sem ela nada disso seria real, seu trabalho é iluminado e você é uma pessoa fora do comum. 

A nossa familia por todo o apoio e por sofrer junto. A minha mulher maravilha, minha heroína,  minha guerreira.. você foi além, se superou e provou que é uma parideira de primeira.. sempre te amarei. E por ultimo e não menos importante a Deus, que nos abençoou, deu força e enviou nosso pacotinho de amor!

Relatos de Partos - março 2018


O parto é um evento lindo e familiar ( ou pelo menos deveria ser) e quando os pais estão preparados e animados pra passar um trabalho de parto especial, e se preparam como se prepara uma festa, as histórias são sempre emocionates e lindas.

E digo isso porque vivenciamos realmente isso semamnalmente, em cada noco parto.

Aqui alguns dos partos amorosos edas familia lindas que acompanhamos esse mês…e por coicidência foram 3 mamães Lucianas, 2 Carolinas e Marcela.

Parabéns aos papais queridos, às familias e bem vindos:

Pedro, Otto, Yam, Maitê, Heitor e Isabela 🙏😇

image
image
image
image

Mãe, por autora anônima 💖


Um mail muito especial….e quero guardar….no coração e pra sempre!!!

Alguém acha que eu não sou desse planeta, não conhece minha mãe! 


Ela veio pronta pra frente da batalha, durana e forte apesar de ser toda a sensibilidade e inocência.
Ela vai pra frente, defende e fala, doa a quem doer (e, normalmente, doí.)

Sensível demais pra entender como as coisas funcionam na vida real…Ela muda, Ela faz acontecer, e questiona. Como pode ser tudo isso assim? Sim, ela  é! 

Cresci no seu mundo mae, e não podia ter tido uma oportunidade melhor.
Hoje sou grata a tudo isso que você me fez e me ensinou..
a não acreditar que a vida eh algo alem do que os seus olhos veem.
o que te doi e te motiva é o que nos faz querer ser.
e dessa motivação vivo minha vida.

Você que me deu a luz tantas vezes, das mais diversas formas
que me faz crescer e renascer e evoluir,
independente de quem esteja no papel de fortaleza. nos somos.

Sempre quebrando todos os padrões em tudo..
trabalhos, relacionamentos, todas suas visões do mundo
visão do coração ….

….antes de alguém pensar em fazer.. você sempre ja sabe. (rs)

Devo tudo a você. toda a minha verdade, toda a sua, em tudo.
toda minha gratidão ao ser humano que você é, e a toda oportunidade que, hoje, vejo que tive de vivenciar essa vida com você.

karmico ou não, nosso nó é eterno e curado.
hoje, eu não mudaria nada do que vivemos.
te amo com todo meu coração

VII Roda de Mães com bebês - encontro gratuito dia 26-11 sobre Introdução alimentar

A Namaskar Yoga é um local de bem estar, saúde, yoga, e principalmente um local que leva informações para as mulheres, gestantes, casais grávidos e mães com bebês. E todo mês temos um encontro gratuito pra mães com bebês, que é nossa Roda de Mães. Cada vez um assunto diferente, e um profissional também de uma área diferente pra nos esclarecer assuntos da maternidade.

Nesse dia 26 de novembro, terça-feira, 18hs vamos abordar o tema: “ Introdução Alimentar”, e quem vem falar sobre tudo isso é Nathalia Donato, idealizadora do “Chefe de Papinha”, além da presença da psicóloga Flaviana Silva, e da doula Adriana Vieira, coordenadora da Namaskar Yoga.

Dessa vez teremos mais uma novidade: a “baladinha do bebê”, um serviço que conta com uma tapete multitarefas para crianças e bebês, brinquedos e monitores, para ajudar a cuidar das crianças enquanto batemos papo! 

image

* Para participar do evento gratuito é preciso fazer uma inscrição via e-mail (aline@namaskaryoga.com.br) ou nos ligar (13) 3345 2680, pois há limite de vagas.

** Quem quiser experimentar uma aula de babyoga, yoga pra mães com bebê de colo, acontece logo após a Roda de Mães com bebês, ‘as 19hs, e nesse dia a aula será gratuita. Reserve também sua vaga gratuitamente.

image

Aulas de babyoga na Namaskar Yoga- terças e quintas: 19hs.

Av Siqueira Campos, 429- sala 11.

Custom Post Images