F L X G

Encontro para mães e educadoras traz Betty Monteiro da “Pais e filhos” - Bragança

image

Eu estive presente no primeiro encontro, ano passado, promovido pela Vivian Ferreira, e foi simplesmente excelente, com a presença de um dos pediatras mais aclamados no Brasil, Dr Jayme Murahovschi, que é grande incentivador da amamentação em nosso país.

Quando a Vivian me falou que esse ano faria novo Encontro, eu logo garanti minha vaga e também fiz questão de ser uma das apoiadoras e incentivadoras do evento, pois sei o valor que tem organziar bem alog e trazer gente de qualidade pra falar de assuntos que ajudam outras mães, pais, educadores, etc

E cá estamos!!! 

image

SOBRE O EVENTO!!!

QUEM TEM FILHOS CONHECE BEM ESSAS CENAS.

Filho que faz birra, rabisca paredes, aquele que não quer comer, menino que fala muito palavrão, criança que não quer sair do vídeo game e criança que não divide os brinquedos, crianças obesas, entediadas, sem limites … e por aí vai.

Falta de tempo, correria, excesso de trabalho, falta de dinheiro, medo de sair na rua com tantos assaltos, esses são alguns dos problemas enfrentados pelas mamães modernas.

O QUE FAZER? Como criar filhos diante de toda essa realidade?

Dia 28 de outubro, vamos descobrir juntas o que fazer?

Qual o melhor caminho a seguir?

CONTAREMOS COM A AJUDA DE BETTY MONTEIRO.

Elizabeth Monteiro é pedagoga, psicóloga, escritora e colunista da Revista Pais & Filhos.

Há décadas dedica-se a defender a qualidade de vida das crianças dentro de suas famílias e da sociedade. Como uma das profissionais mais requisitadas quando o assunto é “Pais e Filhos”, Betty se transformou em consultora dos principais meios e veículos de comunicação de todo o Brasil.

Estamos preparando um evento para as mães, vovós, babás, professoras, tias…os pais também serão bem vindos.

Acreditamos que a informação é o melhor caminho para nos ajudar nos cuidados com nossos filhos.

Esperamos vocês!

E Para OS AMIGOS E ALUNOS DA NAMASKAR YOGA HÁ UM DESCONTO ESPECIAL NA COMPRA DO CONVITE

Entre nesse link e saiba mais: 

https://www.sympla.com.br/2-encontro-de-maes-mamae-levada__170964?d=AP.AdrianaNamaskar

Bora lá?!!! oportunidade boa demais!!!

Aki vcs participam do evento criado pela Mamãe Levada, lá no facebook

https://www.facebook.com/events/109663996410580/?ti=icl

 Até lá!!! 😘🍀❤️👶🏼


Curso pra Gestantes em Santos - gratuito - Shantala, amamentação, nutrição e mais...

image

E lá se vão…mais de cinco anos de parceria entrea a Namaskar Yoga e a Clínica Mar Saúde em Santos, promovendo saúde e infromações aos casais que fazem esse belo curso, gratuitamente em Santos.

Todo mês uma niva turma e cada um dos 5 profissionais ensina suas técnicas e  muito do que os pais precisam aprender antes de seu bebê nascer.

Estarei por lá ensinando a Shantala, uma massagem bem especial para os bebês!

E dicas de como dar um banho de ofurô correta e seguramente! 

Faça sua inscrição e aproveite todas as informações!!!

Até lá!!!

Adriana Vieira Schaap - Doula, instrutora de yoga e shantala, educadora perinatal e palestrante.

Banho de ofurô e Shantala, duas técnicas deliciosas que os bebês agradecem - Por Adriana Vieira Doula - bebê Lorenzo 😇

image

E esse foi o primeiro banho do Lorenzo, agora com 15 dias de vida, e parece que ele curtiu de montão!!! Papai Fabio e mamãe Ana Paula vivem a experiência da maternidade/paternidade pela segunda vez, e eu os acompanho por todo esse tempo…com muito carinho e honra!!! 

O irmão, promovido agora a mais velho, Miguel, também já curtiu um ofurô tempos atrás, mas nesse dia estava lá no chuveiro cantando, enquanto eu os ensinava a dar o ofurô!!! Um figurinha, que conheço desde a barriga 😇

Banho de ofurô: 

Já escrevi aki no blog e em outras colunas e sites pra pais, sobre os benefícios desse delicioso banho, e cada vez mais outras doulas, pediatras e mesmo outros profissionais estão aprendendo e ensinando a dar  esse banho terapeutico, que  ajuda a relaxar, a diminuir dores, cólicas e deconforto. O ofurô relembra as sensações que o bebê sentia no útero, o que lhe traz segurança, conforto…

Pra saber mais sobre esse banho assista ao video completo lá em nosso canal do you tube: https://youtu.be/kLQEymxDTl0

E mais… a Shantala é também um grande aliado da mãe, do pai e dos bebês. É uma técnica deliciosa, que tem uma ordem correta pra se fazer e os bebês amam!!! Aki também vc lê a matéria completa :

https://www.namaskaryoga.com.br/blog/files/21b4484eed3f8faecc158224b445cc85-151.php

e pode ver o vídeo aki: https://youtu.be/5947wV-38MY

image

Então papais, mão a obra, pois temos bastante a aprender nesse mundo de “paternidadee maternidade, e nada de desespero…vamos tendo experiências e assim, aprendizados! 

Como doula gosto de ensinar muito do que os pais precisam saber, não apenas sobre o parto, a gravidez, o parir e o nascer! São importantíssimos esses passos, claro! Mas depois vem o dia a dia e a correria com o bebê no pós parto, então é importante demais saber sobre a Shantala, ofurô e asuntos como Slings, os carregadores de bebês, que fazem bem demais pra eles, e para os pais tbem!!! Outros assuntos bem importantes: amamentação, o puerpério, e a exterogestação!!!

Bom, mas fica pra outro post, que esse aki eu quero terminar com a mamãe slingando, e Lorenzo curtindo nosso sling, produzido com tanto amor , segurança e carinho!!!

image

 E claro, nossos lindos momentos no parto maravilhoso que a Ana paula e o Fábio consquistaram dessa vez: na banheira, num parto natural hospitalar em Santos!!! Parabéns a essa linda família!!! vcs são demais 💟

image
image

Dia 9 de setembro - Feliz dia do Veterinário - O Parto da Gata Chuva

E ela deu cria…e me ensinou ainda mais….

Sim, nossa gatinha Chuva deu cria nesse dia 2 de setembro, e três lindos filhotinhos nasceram: coffee, milk ou Olaf ( não sabemos ainda se é fêmea ou macho) e chocolat, e foi no amanhecer do dia, sozinha, fez tudo, lindamente….

Como doula pude aprender tanto com ela, e observando a natureza, a beleza do instinto, do que acontence, seu ritmo, seu tempo, seu poder de fêmea…

Como instrutora de Yoga, esse fato me fez relembrar, uma das primeiras aulas de ásanas que tive, com um professor maravilhoso, e que ele falava…na dúvida er um ásana (postura de ioga) observe a natureza, suas sensações, e se permita…

Então, a natureza, sempre a natureza!!! Porque somos parte dela, criação dela, e nem sempre temos tempo de voltar à ela e observá-la….

Vamos ao parir de Chuva, nossa felina linda…

5 da manhã ouço uns gemidinhos, bem de longe, mas diferente de quando ela quer comer ou sair de casa….uns gemidinhos diferentes…e fui ver o que era…
Procurei, procurei…meu marido também ouviu e se levantou….
Fomos seguindo seu miado, e chegamos ao quarto de nossa filha, e lá estava ela….dentro da cômoda de roupas, lá no alto, dentro da segunda gaveta ( são cinco) e abrimos bem devagarinho…já haviam nascido dois deles…e o terceiro estava por chegar…
Observamos de longe, quietinhos e tudo…atentamente…


Ela sentia as contrações e ajudava, fazia a força e então, quando as contrações paravam, ela se aquietava, se recuperava….
Nasceu o terceirinho…ela lambeu, lambeu, os limpou…e se limpou.
Depois, lindamente os aconchegou e por ali, quietinha, juntamente com eles, os esquentou, os amamentou e se aquietou.

Hoje faz uma semana que eles chegaram…e só tenho aprendido com ela, com eles…e aprendi muitas peculiaridades que já incentivava as mulheres, as gestantes e as puérperas a fazerem….mas como nem sempre o que a gente fala ( mesmo como profissionais) é ouvido, dou uma dica para as mulheres mais uma vez: observem a natureza e os outros mamíferos.
Porquê? Porque temos a sabedoria interna…instintiva e milenar já dentro de nós…
A mente racional pode estragar tudo
O pensar demais,
O querer controlar
O querer estar a frente de tudo, conduzir, manipular…
Não, não pode ser assim no parir…
Parir é sentir, intuir, deixar fluir
É se perceber, suas virtudes e conquistas, e também seus limites: aceite-se e progrida se quiser, mas o parto é seu, o corpo é seu, e só vc pode conquistar isso!
Nós profissionais que damos assistência ao parto e nascimento podemos sim colaborar, ensinar, preparar a mulher e seu companheiro para essa linda jornada, mas a caminhada é SUA, e o Corpo e a Mente também são seus….apodere-se de Si mesma, e faça como Elas…as fêmeas….acredite em Vc, em seu poder e faça acontecer!!!

E voltando ao parir da Chuvinha….o que ela precisou para parir?
Tudo aquilo que nós doulas indicamos também para as mulheres:

1- privacidade, um local na penumbra, silenciosos e seguro;
2- sentir seu corpo e o puxo;
3- agir a favor da natureza…pois o corpo já faz o que precisa;
4- pensar menos racionalmente, para agir mais instintivamente
5- saber do poder que todas nós temos de : gerar, parir e nutrir

E no pós parto? Como vocês acham que ela se portou?

JA fêmea fica o tempo todo com sua cria…alimentando e os protegendo do mundo afora, enquanto crescem e se fortalecem.
Foram 3 dias inteiros ao lado deles, dentro de uma caixa, amamentando e os mantendo quentinhos e quietos.
O macho não podia nem chegar perto…ela deixou bem claro que precisava estar ali, e ali ficou.
Fiquei preocupada porque ela não sai de lá nem pra comer, e uma amiga querda, veterinária, a Adriana Leão, me explicou que elas comem a própria placenta e então podem ficar alguns dias sem outros alimentos.
Depois resolvi por uma comidinha pra ela, bem pertinho e ela aceitou…mas era assim, comia e voltava pra perto da cria!

Nós também respeitamos muito esse momento entre eles, e ensinei minha filha a importância de não pegar os filhotinhos, mesmo que fosse somente pra acariciar, pois ele precisavam agora só da mamãe mesmo! Ela entendeu….

Somente hoje, depois dessa primeira semana é que ficamos surpresos com eles abrindo os olhinhos e oa seguramos pra tirar essas fotinhos…

Mas percebemos que no pós parto, também precisamos, e muito, aprender com os outros mamíferos….priorizar

Contato mãe e bebê, isso é o mais importante pra ambos, após o nascimento,
Amamentação exclusiva e em livre demanda, isso significa não priorizar visitas, atender telefones e outras pessoas…dar tempo para mãe e para o bebê ficarem juntos
O bebê necessita o cheiro e o calor do corpo da mãe, isso é vital e fundamental. Gatos não ficam mimados com colo da mãe, bebês também não,
Nenhum outra espécie acha o choro ( miado, latido, etc) de seu bebê estranho, eles vão se conhecendo e se entendendo
Nenhum outro mamífero dá chupeta ao invés do peito
Nenhum outro mamífero da mamadeira ao invés do peito

Ah! Ok, somos mais inteligentes!!!
Tenho minhas dúvidas….

Acho que temos realmente muito o que aprender com ELAS, ter essa humildade, para o benefício da própria humanidade e nosso desenvolvimento saudável!!!

Nascer com respeito - ponto de vista de uma doula

Nesse mês de agosto em especial, completo 12 anos que conheci o mundo do yoga pré natal, e em setembro serão 8 anos trabalhando com partos e nascimentos, como doula…e educadora perinatal…e em busca de ver nosso Brasil celebrar nascimentos respeitosos, amorosos…seja no ambiente que for: hospitalar, domiciliar.


O que aprendo e aprendi com isso tudo… quase 500 partos que assisti? E com o meu parto normal após duas cesárais…

Muito, muito, muito…

Muito sobre o amor, a paciência, respeito, as dificuldades, o passar de seus próprios limites, sobre a união, o contato com o feminino, sobre experiências ùnicas…

Que cada parto é um parto, e todo casal, todo bebê e toda história familiar é diferente, única, especial e necessária pra cada um de nós envolvidos nesse contexto…

E aprendi mais…

Que os casais bem informados podem fazer suas escolhas de acordo com sua maneira de viver, seus ideiais….

Que as doulas devem levar informações úteis ao casal, dar apoio e segurança, mas não opinar por eles…

E.que flexibilidade e doação são fundamentais…

Que equipes que assitem partos devem ter pessoas preparadas fisica e mentalmente pra apoiar o casal grávido e a gestante, tanto nas horas felizes  quanto nas difíceis…

E médicos, enfermeiras, técnicas de enfermagem e doulas são profissionais que deveriam amar realmente o que fazem…

Que mulheres em trabalho de parto deveriam deixar a intuição falar mais alto que a razão…e deveriam se preparar pra entrar em contato com o feminino mais sagrado e profundo…

Que os companheiros entedessem o quão importantes são pra suas  parceiras e o quanto a força do masculino as ajuda em trabalho de parto…

E que um bebê sabe nascer…se deixarmos ele agir…

E o quanto corpo e mente são uma coisa só…


image

Esse mês acompanhei 5 partos…e talvez mais um bebê ainda chegue hoje ou amanhã, nunca sabemos a hora que querem chegar, mas o que me encanta é isso também…esse inesperado!!! 😇

E assim foram os partos: um trabalho de parto foi curto e nem tão dolorido, o outro foi longo e não nasceu naturalmente…um terceiro foi bem puxado e uma nova mulher nasceu, uma outra teve uma cesaria de emergência e está longe de seu bebê que ainda recebe cuidados na UTI, e uma outra nasceu naturalmente e tão facilmente! 

Mulheres, vidas e experiências de partos diferentes,  contextos diversos, cada companheiro também tem suas peculiaridades e expectaticas, bem como seus bebês…que refletem tudo isso….

Um parto deveria servir para pudéssemos nos rever e nos entender ainda mais e melhor, pois é um rito de passagem, da mulher, de filha para Mãe, bem como do companheiro…de filho para Pai. 

Ao meu ver é nosso maior momento de mudança e grande oportunidade de nova consciência e maturidade.

Aproveitem muito desse momento divino e especial e procurem informações corretas pra minimizar medos e ansiedade…e curtam bem a gestação, o parto e a maternidade consciente!!! 

Agradecimentos especiais aos protagonistas desses partos: 

Janaiana e Luiz, pais de Liz;

Thaisa e Felipe, pais e Pedro;

Andrea e Wagner, pais de Isabela;

Mariana e Guilherme, pais de Murilo;

Patricia e Mauro, pais de Rafael. 

🙏🏻😘🍀😇❤️

* ministramos cursos de Preparo oara o Parto, presencial e online (zap 13 997876693)

Quer saber das taxas de cesariana de seu médico?

Dá pra saber sim!!! 

Ontem fizemos uma “LIVE” no face e instagran e falamos muito sobre o parto respeitoso, amoroso, humanizado e adequado…sobre ter um preparo para o parto e também sobre a escolha de uma equipe que respeite suas vontades!

E no Brasil sabemos que ao iniciar uma gravidez, 90% das mulheres iniciam esse período com vontade de ter um parto normal, e com o passar do pré natal esse índice cai abruptamente ( chega a menos de 40%) e  que a maioria dos obstetras aqui no Brasil ainda desencorajam as mulheres a aguardar o “trabalho de parto” e um parto natural ou normal….

Essa triste realidade nos deu o “recorde”  de país com o maior número de cesárias desnecessárias do mundo, em 2009 e nosso governo teve que repensar as  diretrizes em relação à saúde da mulher e do bebê, devido a esse triste indice.

Pois bem, desde então temos mais leis a nosso favor, como a que não permite mais marcar uma cesária antes da mulher completar 39 semanas ( mas que ao meu ver deveria ser uma lei ora que todas as mulhers em condições saudáveis deveriam entrar em trabalho de parto) e temos uma Resolução da ANS (06/07/2015) que OBRIGA os planos de saúde fornecerem para todas as usuarias de seu convênio, as taxas de cesarias do plano e dos obstetras conveniados nesse plano. 

image


A advogada Alessandra Kauer, de Santos, está grávida e foi atrás das informações e obteve: “ Consegui ver pelo site do meu plano de saúde. Coloquei o número da carteirinha, senha, e tem várias informações sobre o plano, inclusive onde procurar os médicos. Lá tem uma aba que permite consultar sobre os médicos e as taxas de parto normal e cesariana”, afirma a gestante, que depois dessa consulta procurou uma nova médica pra fazer seu pré natal, já que quer um parto normal e está se preparando pra isso.


Aki vc encontra a resolução da ANS na íntegra:

http://www.ans.gov.br/planos-de-saude-e-operadoras/informacoes-e-avaliacoes-de-operadoras/taxas-de-partos-cesareos-por-operadora-de-plano-de-saude

Mas lembre-se que os convênios não estão acostumados ainda com essa resolução, emtão paciencia e insistência são necessárias. 

Tenha em mãos o nome completo de seu médico/a e o ligue pra operadora ou mande um mail. Eles têm o prazo de até 15 dias pra te retornar.

Se seu médico não atende seu plano, mas é conveniado a outro plano, vc pode ligar nesse plano que ele é convenidao.

Lembrando ainda que a taxa que o plano irá te fornecer refere-se ao percentual de cesária daquele ano e apenas daquele plano, ou seja, se ele/a for conveniado a outros planos, a taxa pode mudar 👀

Caso seu médico/a não seja conveniado, é importante saber nos hospitais que trabalha se ele/a só marca cesaria  ou se costuma fazer partos por lá.

Outra dica é conversar na sala de espera e perceber se a maioria das mulheres que estão lá na consulta pós parto tiveram cirurgia ou partos vaginais. E ainda, uma outra dica é perceber se sua consulta às vezes é desmarcada, porque o médico/a está com alguém em trabalho de parto 😉

Algumas cidades, as próprias mulheres oesquisaram e fizeram uma lista com o nime dos médicos/as e suas taxas de cesarianas e parto normal…fica ai a dica pra Vcs!!!

Bora fazer uma lista em sua Cidade? 

Aki algumas que já foram feitas: http://emais.estadao.com.br/blogs/ser-mae/mulheres-divulgam-listas-com-os-indices-de-cesareas-de-obstetras-que-atendem-parto-pelos-planos-de-saude/

Dia da gestante é dia de informações! Confira tudo que preparamos pra  Vcs

Dia da Gestante - Relato Parto hospitalar - Andiara

Meu primeiro parto foi muito doloroso! Em todos os sentidos! A médica q me acompanhava dizia q a única certeza q temos é de uma cesárea! “Vc só sabe se terá condições de um parto normal na hora”, ela dizia. Mantive meu plano de saúde, pois julgava q com um convênio seria mais bem atendida na hora do parto! Mero engano… fui para o hospital para ganhar com o plantonista. Estava assustada, com medo, sozinha… enfermeiras entravam e saiam e não me falavam nada! A médica em nenhum momento pediu ou me explicou qq ato q fosse realizar, mesmo sempre tendo q colocar a mão no meu corpo. Cheguei no hospital c/ 5 de dilatação e tão logo me internaram, já me deitaram na cama e me colocaram no soro. As enfermeiras disseram p/ minha mãe q me acompanhava no corredor q ficasse “tranquila”, pois eu iria passar o final da noite e madrugada ali, afinal embora a dilatação, contração, estivessem acontecendo junto de forma ritmada e diminuindo c/ o tempo, era minha primeira filha e partos demoram no mínimo 8h! 30 minutos depois perceberam q eu não passaria daquele dia (minha filha nasceu menos de 3 horas depois da internação)

A médica veio me examinou sem pedir e ainda disse q eu deveria fazer força “embaixo”, pois “o q vc esta fazendo não serve p/ nascer nem um passarinho”… saiu da sala e voltou paramentada. Eu ainda estava no quarto c/ 9 dilatação qdo a médica estourou minha bolsa sem falar nada! Eu apenas vi ela colocando a imensa “agulha” ao lado da cama depois de usá-la. Veio uma dor muito forte e a médica disse “agora vc espera e não faz força pq temos q chegar ao centro cirúrgico”. Trouxeram uma maca e mandaram eu sair da cama e deitar nela. E entrando no centro cirúrgico q eu saisse dela e deitasse naquela mesa fria, gelada, colocasse as pernas para cima e então fizesse  força p/ minha filha nascer. A médica então me fez aquele corte horrível no períneo e logo após minha filha nasceu…

Não bastasse toda a mistura de sentimentos: estava triste, com medo, vazia, me sentia violentada e pensava “isso é ter um filho por parto normal??

 Deveria ter feito cesárea…” Logo após o nascimento dela eu comecei a me tremer toda! Não era frio, mas me trouxeram cobertores e uns 10 minutos depois, me “apresentaram” minha filha já td embrulhada (eu tbem, debaixo daqueles cobertores) e então, a levaram p/ o banho, me entregando ela mais de 1h depois… meu 1° contato c/ ela foi apenas  visual e por alguns segundos… isso eu não desejo p/ ninguém!!!

No meu 2° parto eu já tinha ouvido falar de doula, parto humanizado e comecei a ir atrás de informações! Não tinha convênio e comecei a buscar hospitais públicos que “oferecessem” um parto mais humanizado! Queria esclarecer as dúvidas, perguntei e nesse meio encontrei a Adriana Vieira, da Namaskar Yoga. E lá fiz curso com meu marido, de Preparo para o Parto, participamos de encontros como as Rodas p Gestantes, e até festas juninas, etc

Já estava resolvida q queria alguém comigo, q aliviasse minhas dores, mas q antes de qq coisa estivesse ao meu lado! Qdo ela disse q acompanhava partos em casa me apaixonei! Então, fui p/ um hospital público e já me internaram pois estava c/ 5 dilatação novamente. A médica disse q só me colocaria no soro se eu quisesse. Pude ir andando para a sala de parto, onde fiquei a vontade, entre o chuveiro (que p/ mim foi maravilhoso) e o quarto! Eis q uma enfermeira obstetra vem me examir e diz “mãezinha, qdo a contração diminuir e vc puder ajudar eu te examino”… escutar isso foi a glória, parecia q eu estava no paraíso! E assim foi qdo ela terminou de examinar e disse “vc esta c/ quase 8. Vou marcar no prontuário e mais ninguém vai te examinar”. Nem parecia q eu estava num hospital público! 

O tempo das contrações foram diminuindo e eu voltei p/ o chuveiro. Deitei no chão do banheiro já sentindo meu quadril se dilatar. A Adriana foi colocando umas mantas p/ q eu deitasse qdo escutei o pai da criança gritar em tom assustado “vai nascer! Cade a médica?” (hoje, risos meus dessa frase). Esta chegou e perguntou se eu queria levantar e ir para a cama e eu apenas balancei a cabeça negativamente pensando comigo “daqui só saiu qdo ela nascer”, tempo este q demorou até a próxima contração. Qdo esta começou eu senti minha filha saindo, mas não tive dor alguma nesse momento. Tão logo ela saiu e eu já a senti no meu colo!! 

A médica deitou-a em meu peito no segundo seguinte!!! Passado alguns minutos o pai foi convidado a cortar o cordão umbilical e logo após eu me levantei e fui para o quarto, onde minha filha começou a mamar!!! 

Senti dores? Senti, mas fui muito feliz no meu parto!!! E espero q todas as outras mulheres possam ter experiências tão maravilhosas qto… cada uma a sua, em especial!! 

Gratidão a todos os q participaram desse momento maravilhoso para mim!

Dia da Gestante - Humanização é moda?

Bom dia e um lindo e especial Dia da Gestante pra Vc!!! 

Eu amo celebrar muitas datas, e essa aki é bem especial pra mim por “N” bons motivos…sou mãe de 3 e amei estar grávida, gerar, parir, amamentar e enfim …adoro esse mundo de mães, pais e bebês, e então a vida me levou pra ainda mais perto disso tudo, e há mais de 10 anos dou aulas de Yoga pra gestantes.  E antes mesmo disso tudo acontecer, numa viagem à Holanda, aprendi sobre uma nova profissão: as Doulas , então, como a vida da voltas a gente precisa aprender a dançar no seu tom…um dia, uma aluna de yoga me tornou sua Doula ….e assim estou…há dez anos!!! celebrando e ajudando outras mulheres a celebrar….

E celebrar a gravidez, o nascimento e uma nova família é sempre bom demais!!! 

E hoje em especial, quero trazer pra vocês algumas novidades na área da humanização e do parto e nascimento, pois tenho ouvido tanta besteira de alguns médicos ainda, e de outras pessoas muito desatualizadas, que resolvi aproveitar esse dia especial pra fazer uma matéria bem esclarecedora sobre o assunto.

O que me inspirou, na verdade, foi a fala rude de uma médica nada humanizada à uma gestante amiga…além da médica perder essa paciente e outras tantas ao redor delas, se mostrou desatualizada e antiética com outros colegas….mas rudezas e indeicadezas aparte, vamos fazer desse limão uma bela limonada…bora lá … vamos ao ponto interessante….

A gestante que era paciente dessa médica, apenas perguntou se ela poderia ir para um hospital adequado pra ter seu bebê e se essa médica ( a desatualiada) poderia ir lá acompanhá-la, já que lá tem suítes pra partos normais…

A resposta da médica 01 foi : - “esse negócio de humanização é modinha e nós obstetras sabemos o que devemos fazer na hora do parto, não se preocupe com isso agora, pode deixar que farei o possível… Mas não irei pra outro hospital não, não será preciso, pois aqui tem tudo que ire mos precisar

Oi?

Bom, nem preciso dizer que a gestante, bem informada e sabendo o que quer já mudou de médica e vai ter o parto como quer e onde quer…e poderia até dar umas dicas pra que a antiga médica e o hospital que ela trabalha ( que não tem nem salas de pré parto e nem pra parto normal, apenas um centro cirúrgico, onde eles tentam induzir todas as gestantes a irem pra lâ e ainda por cima, sem seus companheiros) que há novas diretrizes do governo federal para partos normais, e que àqueles que não se adequarem as novas práticas, realmente estarão fora do mercado logo mais….e seus hospitais retrógrados e apenas com centros cirúrgicos - nem centro obstétrico é- também terão que se reformular e ofercer salas de PPP ( sala d epré e pós parto) de verdade! 

….e que a humanização não é moda não, e sim um direito de todos os seres humanis, e em todas as áreas da saúde, inclusive no parto e nascimento…

Triste história real do Brasil:

Em 2009 nosso paÍs ganhou o triste record de país com maior número de cesárias desnecessária do mundo. Chocante né, triste demais. Fomos notícia no Br e no mundo.

image

E assim passamos anos e mais anos ma cultura “enganosa” de que a cesariana era a que “salvava, bebês. Por isso, médicos, hospitais, equipes, e casais, gestantes, se acostumaram a achar que a cirurgia era melhor para as mulheres e para os bebês. 

Entãoo governo brasileiro vem promovendo ações para mudar essa cultura e recuperar a saúde e bem estar de mães e bebês, e incluir a participaçãoa dos pais cada vez mais na gestação, parto e nascimento.

Aqui um exemplo:

image
image

E um outro por aki

image
image

E tem mais 

image
image
image
image
image
image

Assim como não deveria ser moda a humanização, e sim uma prática respeitosa para com as mães, bebês, pais, com a família que se forma, a humanização deve ser uma rotina em todo e qualquer hospital: público e privado também. 

E os hospitais privados e públicos do Brasil podem também aderir ao Projeto Parto adequado, elaborado pela ANS

Em Santos, o hospital São Lucas aderiu e mudou a maneira de nascer em benefício de todos, como afirma a coordenadora do projeto. Confira


image


Humanização não sai de moda…porque é amor, muito amor ❤😘🙏🏻😇

Dia da gestante - relato de parto -  mãe de 3 - Jéssica Nigra

image


Relato  de Parto Hospitalar Humanizado VBA2C
38+3 às 3:48 do dia 23/05/2017 chegou MARIA com 3040kg e 48 centímetros

image

Senta que lá vem textão…pois são 3 relatos em 1, não poderia falar do Parto da Maria sem falar das duas Cesáreas anteriores que me trouxeram até o Parto Humanizado.

Esse relato começa na minha primeira gravidez que aconteceu quando eu tinha 17 anos, após ser diagnosticada por um Ginecologista como “infértil” pois não menstruava há mais de dois anos devido à Quimioterapia e Radioterapia feitas para tratar um Linfoma de Hodgkin que tive aos 13 anos, eu teoricamente ainda não estava curada do Câncer, pois para a cura total são necessários 5 anos de remissão da doença…pois bem, contrariando o diagnóstico lá estava eu, grávida na adolescência, apesar do susto a alegria foi imensa, pois ver algo impossível se tornando real, mesmo que tão cedo, não me deixou dúvidas…eu vou ser MÃE!!!


Na época morava no interior e cursava o segundo ano do ensino médio…terminei aquele ano e me mudei pra Santos, pois queria ter o melhor atendimento médico possível pra mim e pra minha filha, a gravidez apesar dos “supostos riscos” pelo recente tratamento do Câncer, foi absolutamente tranquila, engordei 7 kilos e não tive nenhuma intercorrência, porem naquela época eu não possuía conhecimento e informação sobre Parto, qualquer coisa que os médicos me falassem seria uma ordem, mas desde o início disse pra minha médica que eu queria Parto Normal…até que com 37 semanas segundo ela eu estava com “feridas no colo do útero” e precisava cauterizar…realizei esse procedimento em uma quinta-feira…no dia seguinte sentia umas leves cólicas e uma vontade imensa de fazer faxina, passei o dia limpando armários, até que na madrugada para o sábado enquanto dormia, minha bolsa estourou, fomos pro hospital, fui examinada pelo plantonista, segundo ele eu tinha 1 centímetro de dilatação, me colocaram o “sorinho” e me encaminharam pra enfermaria apesar de meu convênio ser apartamento, todos os quartos estavam lotados e eu deveria ficar lá sem acompanhante e aguardando liberar uma acomodação de acordo com meu convênio…devido aos traumas que eu tinha de hospitais, o fato de ficar ali, sozinha, sem ninguém da minha família, me deixou extremamente nervosa, a todo momento eu chamava a enfermagem e perguntava se já haviam liberado meu quarto…e nada.


Já farta daquela situação, umas 2 horas depois eu tirei o soro, arranquei aquela camisola do hospital, peguei a minha mala e disse que queria ir embora dali, ligamos pra minha GO “fofinha” e a mesma disse que me encontraria no outro hospital, assinei diversos termos e fui, chegando lá a médica e o seu marido (também GO) me aguardavam, fui examinada e segundo ela eu já estava com 4 centímetros de dilatação…aí que vem a “desculpa esfarrapada” para cesárea :
“Então como fizemos cauterização na quinta, hoje é sábado e seu colo do útero ainda está machucado, não podemos fazer Parto Normal. Você quer que o Pai assista o Parto? Pq se quiser vai demorar 1 hora ainda, pq a sala maior do Centro Cirúrgico está ocupada, mas se não se incomodar de ir sozinha, podemos ir agora" 


Eu mega ansiosa pra conhecer minha filha, disse que queria ir imediatamente, ali fomos para o Centro Cirúrgico, eu a médica e o marido dela que também participou do Parto, foi extremamente rápido, durou poucos minutos, às 10:48 nascia Ana Beatriz com 2990kg e 47 centímetros muito cabeluda, chorando alto e forte, Apgar 9/10, após os primeiros procedimentos trouxeram ela pra mim, embrulhadinha no lençol do hospital, chorou o tempo todo, pedi por favor pro anestesista soltar meu braço, assim que tocaram ela no meu rosto e eu pude acaricia-lá e dizer "Oi filha, é a Mamãe” ela parou de chorar, por 1 ou 2 minutos o mundo parou e eu fui a menina/mulher mais feliz do mundo, só agradecia à Deus por ter gerado uma vida…ela foi a maior prova do AMOR de Deus por mim, concretizou a minha CURA!!!


image


12 anos depois, engravidei, estava com 29 anos, já não era mais uma menina, meu GO foi o mesmo que estava no Parto da Ana Beatriz e me acompanhou nesses anos todos, apesar dele não fazer parte do meu convênio fiz todo o Pré Natal particular para não abrir mão do seu atendimento, pois confiava nele, afinal fez o Parto da Bia e correu tudo bem, pagaria inclusive a parte pelo parto. Tirando o fato de ter tido muitos vômitos do início ao fim da gravidez, tudo correu bem, engordei 5 kilos dessa vez, mas aquela máxima “uma vez cesárea, sempre cesárea” eu ouvi desde a primeira consulta, eu nem sabia oq significava a sigla VBAC, pra mim aquela era a verdade absoluta, a única coisa que eu queria era esperar o Trabalho de Parto, ou seja ter algum sinal de que estava na hora dele, seguimos com o Pré Natal, até que por volta de 35/36 semanas o GO “fofinho” me disse que iria viajar e que voltaria quando eu estivesse com mais ou menos 40 semanas, ele indicou um “colega” pra me acompanhar nesse período, mas eu fiquei sem chão, indignada, pq ele sabia desde o início dessa viagem, poderia ter me avisado, pra eu me programar de outra maneira…decidi não procurar o “tal colega” eu não ia continuar pagando Pré Natal particular pra um médico que nunca vi na vida, decidi procurar algum médico do Convênio mesmo, marquei com a primeira que apareceu na frente e com disponibilidade de agenda, tive poucas consultas com ela, de cara ela já disse sobre agendar a Cesárea, eu estava cansada, magoada, me senti abandonada, o mal estar e cansaço naturais de fim de gestação, somado à falta de conhecimento, me fizeram tomar a pior decisão da minha vida, eu queria agendei a Cesárea, agendamos pra uma segunda-feira, na nossa cabeça seria melhor, pois o Pai aproveitaria melhor a licença Paternidade e seria dia de São João, “nossa que dia perfeito”…só que ninguém perguntou se o Joaquim queria nascer no dia 24/06/2013 às 8:48 com apenas 37 semanas e 6 


Pois bem no dia marcado acordamos bem cedo e fomos pro Hospital, na sala de Pré Parto, eu, marido, minha mãe e minha sogra, a médica chegou me examinou rapidamente e perguntou pro meu marido se já estava com todo o dinheiro que deveria ser pago em espécie, ele disse que sim e ali mesmo ela contou e colocou o bolo de dinheiro no jaleco (isso me marcou muito, ela fez meu parto com o $ no bolso)
Dessa vez não foi tão rápido como no Parto da Bia, Joaquim estava alto, a médica subiu na minha barriga (manobra de kristeller, proibida hoje em dia) ainda sim ele não nascia, usaram alguns ferros (fórceps)…ele nasceu!!! (Como é difícil escrever tudo isso)
Joaquim não chorou, passou por cima de mim, com um aspecto estranho, parecia desfalecido, foi para os cuidados, mil pessoas em volta, eu não enxergava nada, ele não chorava e isso me apavorava, ninguém dizia nada, meu marido ao mesmo tempo que tentava me tranquilizar, ficava na ponta dos pés tentando enxergar algo…foram os piores minutos das nossas vidas!!!
Ele foi estabilizado, me mostraram ele rapidamente, em seguida o Pai foi com ele pro andar de cima e eu fiquei ali, sozinha naquele Centro Cirúrgico, sem entender nada, ninguém me dizia nada, já no Pós Operatório perguntei pra uma enfermeira qual havia sido o Apgar dele 3/8, pedi pra chamarem a Pediatra, perguntei pra ela, pq o Apgar dele havia sido baixo, ela se limitou em dizer “Oq importa é a nota do 5º minuto Mãezinha”. Eu não acreditava, não queria estar ali sozinha, queria o meu bebe, queria saber como ele estava, queria toca-lo, pedi pra chamarem meu marido, a enfermeira disse que lá não podia entrar ninguém, pra eu ficar quieta pq se ficasse falando poderia me dar gases, mas eu insistia e chorava, ela disse que abriria uma exceção, mandou chamar meu marido e ele veio, disse q poderia ser bem rápido, a única coisa que pedi pra ele ele foi, pra ver alguma foto ou vídeo do Joaquim, ele pegou a Câmera do bolso e quando foi ligar disse que havia acabado a bateria…pronto, aí que fiquei ainda mais nervosa, eu só pensava as piores coisas, ele garantia que estava tudo bem, mas eu não acreditava…depois de sei lá quanto tempo me liberaram pra subir pro quarto, cheguei e Joaquim ainda estava no berçário, consegui finalmente ver uma foto dele (todos já tinham visto e fotografado meu filho, menos eu 😢)


Ele era tão lindo, parecia um anjo, aquele cabelo ruivo que eu sempre sonhei, a pele rosinha…mas eu queria ele, queria segurar, cheirar, abraçar e lamber a minha cria, algum tempo depois trouxeram ele em um bercinho e colocaram do lado da minha cama, mas eu não poderia levantar, a enfermeira disse que na hora certa (acho que 17hs) ela viria pra me ajudar a amamentar) o quarto estava cheio, toda a família estava lá (parto agendado é assim) e eu…eu só queria o meu bebe, todos vibrando de alegria, mas só eu e meu marido sabíamos todo o medo e desespero que  havíamos passado, mas ainda nem tivemos tempo de conversar um com o outro, antes do horário, eu pedi que me dessem ele, mesmo totalmente deitada e com ele meio de lado consegui amamentar, quando a enfermeira chegou ele já estava lá, atarracado nas tetas (quase 4 anos depois, continua assim).
Quando todas as visitas foram embora e eu já podia me sentar, peguei meu pequeno, tirei toda a sua roupa, olhei pra cada parte do seu corpo, acariciei, chorei e agradeci, naquele momento finalmente eu e meu marido compartilhamos o medo que sentimos…SIM, nós dois pensamos a mesma coisa, achamos que ele havia nascido morto, mas foi só um pesadelo, nosso Príncipe estava ali, lindo, saudável e cheio de vida.


O que vivemos naquele dia, nos causou muitas mágoas e muitas feridas, instintivamente o destino nos levou até a Humanização, conheci uma Roda de Mães da Namaskar Yoga (criado por aquela que futuramente seria minha Doula, Adriana Vieira) onde se falava sobre esse tema novo e desconhecido pra gente, ouvi relatos, aprendi muitas coisas, descobri o que era Violência Obstétrica e o quanto eu havia sido vítima dela, assisti a Palestra de uma médica incrivelmente Humana e cheia de luz…eu pensava, pq não conheci antes essas pessoas. Nesse espaço incrível participei de vários cursos e eventos, fizemos aulas de Baby Yoga, Shantala (massagem indiana para bebês), Materdança…como se numa “compensação” pelo parto traumático  eu buscava de todas as maneiras estudar e me aprofundar no tema “Maternidade”, criação com apego, Amamentação em livre demanda, Cama Compartilhada, introdução alimentar adequada, eu queria ser a melhor MÃE pro Joaquim.

image


 Nessa mesma época lançou o Filme “O Renascimento do Parto” numa das sessões do Cinematerna fomos juntos assistir, eu e o Rapha choramos o filme todo, como nunca choramos antes na vida, aquilo foi libertador, naquele momento entendemos tudo que vivemos…vida que segue.
Nesses últimos anos que passaram apesar de ter a convicção de que não teríamos mais filhos, eu sempre tentei ajudar o máximo de pessoas possíveis, todas as amigas que engravidavam eu falava sobre humanização, e sobre minha experiência, eu queria tentar o máximo possível  que ninguém passasse por aquilo que passamos.



Até que quando o Joaquim já estava com 3 anos e 4 meses, Raphael com encaminhamento para Vasectomia…após todo esse período me dedicando exclusivamente a Maternidade eu estava voltando a trabalhar, um atraso menstrual que me parecia ser apenas “stress” devido essa volta ao trabalho, fizemos um teste de farmácia do mais baratinho…lá estavam 2 tracinhos, eu estava grávida novamente. Eu não queria, não aceitava, fui em uma médica só pra confirmar, queria um exame de sangue, ela disse que não iria pedir teste, que eu estava grávida e já pediu os exames pré natais…bom se eu estava mesmo grávida eu faria meu Pré Natal com aquela médica maravilhosa que  vi na Palestra lá atras, diga-se de passagem ela é um das únicas que encararia um Parto Natural após 2 cesáreas, a mesma médica que eu indicava pra todas as amigas que engravidavam, eu já havia passado com ela umas 2 vezes pra consultas de rotina, lá fomos nós, ela pediu um ultrassom, nesse exame conseguimos ouvir o ❤️ que emoção, mas ainda não tinha caído a ficha, eis que o médico fala que eu estava com um “descolamento” um “hematoma coronariano” perguntou quem era a minha médica e pediu que eu entrasse em contato com ela imediatamente, assim o fiz, em menos de 20 minutos, aquele anjo estava lá no hospital, me abraçando, me acalmando e dizendo que tudo ficaria bem, me prescreveu medicação e repouso, como foi difícil essa sensação, esse medo de perder, alguém que a pouco vc dizia não querer, pedi muito perdão pra deus, rezei muito e 15 dias depois, repetimos o ultrassom e tudo estava bem…seguimos nossa gestação, naquele momento eu só pensava. EU VOU PARIR!!! Precisava de uma Doula, não poderia ser outra se não ela que nos apresentou todo esse mundo…a Adriana Vieira.


image


Alguns sustos durante a gravidez, como ser atropelada por uma bicicleta, baixa do líquido amniótico…mas nada disso deixava eu parar de pensar no Parto que eu queria e que merecia…talvez eu tenha romantizado demais.
Tive muitas contrações de treinamento desde às 20 semanas, o que me fez pensar até mesmo em parto prematuro em alguns momentos, mas me acostumei com as contrações e seguia a vida. Estudei, li, reli…

image


A gravidez estava bem, sem intercorrências e muito saudável, mas a nossa vida nesses 9 meses foi um turbilhão de emoções, muitas coisas aconteceram e exigiram demais da minha força emocional e psicológica pra lidar com tantos problemas…como isso cansava, eu só queria PAZ!!!
Eu tinha certeza que ela nasceria com 37 semanas, nessa semana cheguei ao meu nível máximo de ansiedade, isso não era bom, tudo eu achava que era sinal de TP, os pródromos eram cada vez mais intensos, a cada dia uma nova sensação e eu pensava “vai ser hoje” na quinta feira (37 semanas e 6 dias) um alarme falso, pois as contrações que até então não eram doloridas começaram a doer, fomos ao hospital, nada de dilatação, médica falou pra eu me movimentar e voltar no fim do dia, ligamos pra Doula, que estava em outra cidade, ela veio pra Santos, me passou um “shake” e pediu pra eu caminhar na Praia, lá fomos nós , eu Rapha e Bia, andamos em ritmo forte por mais de uma hora, parava de vez em quando, agachava, rebolava (a louca na Praia) eu não podia acreditar, estava chegando a hora, pensava que naquela noite minha filha nasceria…após andar feito doida, tomar shake, dormir, descansar, no fim do dia voltamos na médica, ela examinou e nada, nenhum sinal, ela me pediu pra relaxar ir pra casa descansar, que não estava mesmo na hora, que ainda eram prodromos, que quando fosse mesmo a hora eu saberia…FRUSTRAÇÃO, fiquei triste, chateada, no dia seguinte completava 38 semanas e fui fazer o último ultrassom, todos na clínica perguntavam “já marcou a cesárea?” eu fazia cara de paisagem, quinta, sexta e sábado ficamos na casa da sogra, pois era mais fácil pra ir ao medico e fazer exames e também pq meu marido ia sair pra cantar, no sábado à noite finalmente depois desses dias pra lá e pra cá, voltamos pra casa, eu estava muito cansada, pois desde então além das contrações de treinamento eu sentia algumas dores, eu só queria meu cantinho, minhas coisas e a minha casa, domingo só descansamos…na segunda amanheci com mais dores que antes, Adriana (Doula) me chamou no WhatsApp e perguntou como  estava, eu disse que com mais dores, um pouco de intestino solto e vomitado uma vez, ela perguntou se eu estava marcando as contrações, eu não marcava mais nada, não aguentava mais ver a cara daquele aplicativo, ela disse que estava por perto cerca de 40 minutos dali fazendo um curso, porém como meu último contato com ela foi às 13hs, ela voltou pra casa  (fica em outra cidade) que era um pouco mais distante.
Raphael (meu marido) veio almoçar em casa, eu pedi pra que ele não voltasse ao trabalho na parte da tarde, mas não poderia fazer isso sem irmos ao médico pra ter um atestado que justificasse sua ausência, eu falei das dores e ele mandou mensagem pra médica, falando como eu estava, pq eu não queria mais mandar mensagem, estava cansada de “alarmes falsos”, não queria mais falar com ninguém, ela pediu pra observar a evolução e se eu quisesse poderia ir ao Hospital ou Consultório avaliar, imediatamente eu desisti da ideia, afinal tudo que eu não queria era sair mais de casa, ficamos por ali, almoçamos, até demos uma namoradinha (acho que também ajudou). Ele voltou pro trabalho e eu fiquei com o Joaquim em casa, fiquei um tempo deitada, cansei, decidi levantar e fazer algo, distrair a cabeça e tirar o foco da dor.
Minha casa já estava limpa, pois no ócio dos últimos dias eu só sabia limpar e limpar, mas lá fui eu novamente pra uma super faxina, sai limpando tudo, lavando banheiro, limpando janelas, até sacada e churrasqueira eu limpei, quando uma contração vinha, eu segurava no rodo ou onde estivesse e me abaixava, Joaquim (meu mini doulo) vinha me fazia carinho e dizia calma mamãe, respira fundo vai passar e me mostrava como eu tinha que respirar…eu só conseguia sorrir e agradecer a Deus por ter um filho de 3 anos  tão maduro e sensível.
Marido chegou do trabalho e eu estava lá, animadona na faxina, coloquei pra tocar músicas sertanejas beeeeem antigas, a maioria delas o Rapha diz que nunca ouviu na vida, entre uma moda de viola e outra, pegava o Joaquim no colo, dançava, rebolava, cantava e me lembrava do meu Pai, que já se foi e que amava e cantava tanto essas musicas, por isso essa minha paixão tão peculiar.
Inúmeras vezes tanto a médica como a Doula me falavam sobre minha ansiedade e que ela seria a minha pior inimiga pra conseguir o meu tão sonhado Parto Natural, mas justamente naquele dia instintivamente mesmo sem me dar conta eu estava fazendo tudo que deveria para evoluir, já estava em trabalho de parto e não sabia, esse “relaxamento”, esquecer um pouco foi fundamental para as coisas fluirem, PARIR é mesmo MÁGICO!!!
Depois de terminar devia ser umas 19hs pedi pro marido assar umas Mini Pizzas e fui pro banho, pensei agora vou relaxar, comer e dormir…eu estava EXAUSTA!!!
No banho comecei a ficar enjoada e sentir mais dores, Rapha ficou preocupado, entrou no banheiro e decidiu  ligar pra médica “Doutora a Jessica tá de quatro no chuveiro e vomitando” imediatamente ela diz “Vai nascer, venham pro Hospital”
Ainda sim eu não acreditava, não queria ir, preferia  esperar mais um pouco, eu queria algum sinal diferente como a saída do tampão, estourar a bolsa, qualquer coisa…eu pensava que seria um papelão, chegar lá no hospital, fazer a médica sair da casa dela e não ter nada, e mais uma vez voltar pra casa, mas fui convencida, terminei o banho me vesti e vesti o Joaquim, as bolsas já estavam no carro fazia tempo, de casa até o hospital leva cerca de 40 minutos, Rapha enfiou as pizzas num pote e fomos, pedi pra ele não avisar ninguém, nem a Mãe e Irmã dele que sempre ficavam com o Joaquim quando precisávamos, disse que iríamos com ele e após ser examinado se realmente houvesse necessidade nós avisaríamos e levaríamos ele até lá (elas moram bem perto do hospital) eu preferia não avisar pra não criar ainda mais expectativa com medo da frustração.
No caminho Joaquim foi mamando…sim!!! Ele ainda mama no peito e mamou por toda a gravidez, só parou no período em que tive que fazer o repouso, foi uma fase bem difícil pra nós dois. Eu com ele no peito, vocalizava a cada contração, Rapha começou a observar, pelo relógio do carro mesmo (nada de aplicativo) estavam cravadas de 4 em 4 minutos, no meio do caminho a Doutora Izilda ligou e perguntou onde estávamos e sobre as contrações, Rapha disse a localização e o tempo das contrações, ela perguntou o Convênio e disse que já ia preparando minha internação…eu pensei “eita a coisa ficou séria” nos entreolharmos e rimos…será mesmo que a Maria tá chegando? Era um misto de ansiedade, alegria e medo, principalmente o medo de não ser a hora…eu tentava manter a calma, coloquei uma música linda do Padre Marcelo que sempre me acalmou e a letra toca fundo no coração e diz exatamente aquilo que eu precisava ouvir naquele momento: Já deu tudo certo!!!
Decidimos que era melhor deixar o Joaquim na Avó, ele ficou chorando, pois segundo ele queria ir com a gente buscar a irmã, ele tinha até uma malinha com a roupa
que  escolheu pro grande dia, ficou aos prantos no colo da Dinda e com sua mochilinha nas costas, que aperto me deu no coração.
21hs mais ou menos chegamos no Hospital, só demos o nome, Rapha assinou a internação e entramos direto pro Consultório, lá estava ela, aquele anjo que transmite uma paz, só no olhar…Drª Izilda, me examinou e disse 3 centímetros, naquele momento eu só chorava, ela ligava pra Adriana e dizia que poderia vir, Maria ia nascer, eu dizia eu consegui, eu consegui, ela “calma, tem muita coisa ainda”…era só isso que eu pedia pra Deus, que ela escolhesse a hora dela, a via que ela vai nascer nesse momento não me importa, o meu maior desejo já se realizou…hoje é o dia dela, ela escolheu!!!
Adriana do outro lado no telefone ouvia tudo emocionada e chorava junto comigo, me parabenizou e disse que estava a caminho “me espera Maria”
Fomos fazer o cardiotoco, assim que ligou o aparelho PLOC bem alto, uma água quente escorreu, a bolsa estourou…de tanto que já tínhamos feito o exame já sabíamos até ver o resultado…sim eu estava com contrações ritmadas e o trabalho de parto estava a todo vapor.
Me ofereceram uma cadeira de rodas pra ir até o quarto, recusei claro, fui andando e me agachando entre as contrações…meu Deus como eu esperei por isso!!!
Montamos nosso altar, com tudo aquilo que preparei com tanto amor e com alguns mimos que ganhei de pessoas especiais, baixamos a luz, ligamos numa rádio de pagode e começamos a dançar, estávamos felizes, eufóricos…nossa Maria ia chegar, era uma atmosfera de magia e amor, eu o Rapha e nossa pequena, fui pro chuveiro, as dores começavam a aumentar, Dri pelo telefone ia orientando o Rapha (foi o melhor Doulo do mundo). Quando vinham as dores ele massageava minha lombar como ela havia ensinado, respirava junto comigo me mostrando como eu deveria fazer e dizia “tá passando, tá passando” e sim a dor passava e nesses curtos períodos eu tentava descansar…Meu Deus eu estava exausta (maldita faxina), eu queria dormir, descansar, mas o TP não para e a cada momento exigia mais de nós.
Por volta da meia noite Drª Izilda veio me examinar novamente, 5 centímetros…deveríamos descer pra Sala de Parto Adequado, meu Deus, estava mesmo acontecendo!!!
Juntamos as coisas que gostaríamos de levar pra essa sala…eu tinha planejado tudo, as velas, as fotos, minhas santinhas, meu terço…o top que eu queria usar na hora do parto, até maquiagem eu queria fazer…doce ilusão, nesse momento eu ainda estava “consciente”. Lá vem a cadeira de rodas novamente, eu neguei, a cada 3 passos me agachava…a enfermeira brincou depois e disse que eu parecia uma “lagartixa” na parede…kkkk
Na sala de Parto Adequado, a enfermeira me apresentou todos os apetrechos disponíveis, bola, cavalinho, banquinho, falou da piscina…eu só queria a bola, nunca pensei que sentiria falta daquela bola que me acompanhou por tanto tempo em casa, Rapha continuava a me massagear, pedi pra ligarem o chuveiro.
Por volta de 1 da manhã a Adriana chegava…ufa que alivio, ela com aquela “malinha mágica” cheia das suas “bruxarias” seus óleos, essências, homeopatia…até na boca do Rapha ela pingou umas gotinhas, a mão dela era realmente mágica, quando as contrações (que já estavam punk) vinham eu só pedia “Dri massagem”…acho que nesse momento entrei de vez na PARTOLANDIA…não é que ela existe mesmo, coisa louca, depois disso só tenho flashes, preciso da ajuda do marido e das fotos pra continuar o relato, eu fiquei praticamente o tempo todo de olhos fechados e sem falar nada, quando falava era “eu não quero mais”, “quero anestesia”, “chama a Doutora”, “cadê o anestesista”…segundo o Rapha eu também pedi Cesárea (essa parte eu realmente não Lembro)


Na minha doideira eu achava que se tomasse uma anestesia eu poderia dormir e descansar um pouco, pra depois continuar, meu pior inimigo era o cansaço.
Eu aguentava firme, era só a Doutora entrar na sala eu começava a chorar e pedir anestesia…tipo quando filho vê a mãe e começa fazer birra, ela me examinou estava com 6 centímetros…pensei “como assim? Toda essa dor, todo esse tempo e evolui só 1 centímetro”
Chuveiro quente, lá fui eu, vocalizava, respirava, chorava, minha playlist linda tocava, a cada música uma emoção, uma força diferente, mas quando tocava “Maria,Maria” da Elis Regina, uma FORÇA e uma MAGIA tomava conta de mim e do ambiente, exatamente como diz na música:

“Mas é preciso ter força,
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo essa marca
MARIA, MARIA
Mistura a dor e alegria”

Parir é exatamente isso, um misto de Dor e Alegria, é a dor da vida, é a dor do amor, confesso que já sinto saudade daquele momento.
No chuveiro quando eu chorava e implorava pra Adriana chamar o anestesista, ela me chamou pra realidade e disse “Jé, você chegou até aqui, você sabe as consequências que isso pode desencadear”, eu sabia que uma anestesia poderia colocar tudo a perder, mas eu achava mesmo que dava pra descansar e pedi pro Rapha chamar a Doutora, durante a gravidez conversamos muito, pois sabíamos que esse momento chegaria, o momento que a gente não aguenta mais, o momento em que queremos desistir, sempre falei pra ele, que na hora,ele que diferente de mim estaria consciente e lúcido, analisasse a situação, se  achasse que ainda faltava muito e que eu estava sofrendo pra deixar tomar a anestesia, mas se visse que estava perto e evoluindo bem, pra me “enganar” e não  me deixar  tomar…quando ela me examinou disse “dilatação total, vai nascer”
Oi…como assim, 10 minutos atrás estava 6 como tão rápido, não é possível, eu pensava é mentira, estão me enganando, pra eu não desistir, entra na sala a equipe de enfermagem, ligam o bercinho, começam a preparar as coisas para receber Maria, desligam o ar condicionado…eu falava, sério Doutora??? Vocês não estão mentindo pra mim? A louca eu!!!
As dores passaram, quando as contrações vinham, não doíam mais, eu só queria fazer força, eu estava ali na cama, semi deitada, posição que não era a que eu “romantizei”, Dri, Doutora e Rapha me ofereciam outras opções, mas eu não respondia, só ficava de olhos fechados, eu estava dentro de mim, eu e Maria éramos uma só naquele momento, ainda sim eles tentaram, colocaram a barra na cama pra eu ficar de cócoras, colocaram o banquinho…mas não rolava, era daquele jeito que meu corpo queria, com os pés apoiados e na cama…Maria corou, era cabeluda, Rapha MEGA EMOCIONADO, dizia “ela tá aqui amor, mais um pouquinho só de força que ela nasce,ela é cabeluda”
Ele me guiou, me dizia o que fazer, me ajudava na hora da força, Doula e Obstetra só observavam, aquele “Pai Parteiro” mais lindo do mundo, instintivamente, ele que é um medroso, não pode nem ver sangue, estava ali, forte, corajoso, como se já tivesse feito isso muitas vezes…me pediam pra tocar o cabelo dela, mas eu não conseguia, tinha medo, sei lá…Dri colocava compressa de água fria na minha testa, eu puxava e cobria o rosto…meu projeto de parir Diva, maquiada e com um top lindo…foi por água a baixo, eu estava nua, descabelada, queria aquelas fotos lindas que eu via nos relatos, a maioria das minhas fotos ficaram “impublicáveis”…mas pra mim são lindas!!!
Ao som de Anunciação de Alceu Valença…às 3:48, num pluft Maria nasceu de uma vez, linda e chorando bem forte, Apgar  9/9, veio direto pro meu colo, quentinha, com aquele cheiro indescritível, Rapha chorava de soluçar, após parar de pulsar ele cortou o cordão. EU PARI!!! Naquele momento paria Maria, Joaquim e Ana Beatriz, esse Parto não foi por mim, foi por eles e pra eles…meus filhos. Eu venci, venci o sistema, venci o preconceito, venci os meus medos e vivi A MELHOR EXPERIÊNCIA da minha vida.
Obrigada sempre será pouco pra agradecer Drª Izilda e Adriana, por terem acreditado em mim e principalmente pro homem que depois daquele dia eu passei a amar e admirar muito
mais…meu marido, meu herói e meu parteiro Raphael ❤️

image
image

Dia dos Pais - o que é paternidade consciente?

Ahhhh! Como eu amo celebrar o Dia dos Pais e amoooo porque tenho um grande exemplo de homem como Pai. Uma figura partena forte, presente, que me deu carinho, proteção sempre,me deu escolhas, me deixou crescer e me desenvolver me amparando, e nunca me modifcando…me respeita e me ama como sou! Meu Pai, um ser  humano maravilhoso, generoso, amoroso, e se eu for falar Dele, falo dias e dias e nunca terminarei a gama de elogios e tanto amor que sinto por ele….e celebramos muito, e sempre, não apenas e, dias e datas especiais….celebramos a cada encontro! 

image

 
E o Pai da minha Dorinha também… só elogios a fazer!!! Um paizão, super presente, cuidador, responsável e que entende o que é a Paternidade Consciente!!! O Reném iniciou a “carreira de pai “ aos 47 anos e sempre foi consciente e presente! E nunca falou em dividir ou não tarefas…e sim em  juntos cuidar dela, e cada um de nós dois com suas próprias habilidades e talentos pra poder fazer o melhor para Ela, por Ela e com ELa. Ele gosta de brincar com ela na terra e contar histórias, eu de praticar yoga e fazer sopas. Ele faz panquecas , e eu ensino ela a comer frutas…eu levo para escola, e ele gosta de buscá-la…ele fala com ela em holandês e eu em português, e assim vamos…juntos passeamos bastante, gostamos de curtir nosso jarddim, ou melhor, o jardim da Dorinha, que aliás, iniciamos esse jardim por conta de seu nascimento….

image


Mas então, o que é essa tal paternidade consciente? 

Gosto muito de pensar que é o óbvio, o mais simples e o que o nome já diz: que todo pai que nasce ( pois os pais nascem geralmente após seus filhos), deveria ter consciência da importância que tem para seus Filhos, seus Frutos.

Mas a Paternidade Cosnciente começa na sexualidade….transar requer consciencia de que pode -se gerar um bebê nessa ação e que daki em diante ambos, o homem e mulher, virão a ser pai e mãe.

Paternidade Consciente é ainda é colaborar com a parceira que está fisicamete  gerando o bebê para vocês dois, então comece a cuidar de  seu bebê quando ele estiver sendo gestado. Como? Cuidando bem de sua parceira! 
Ela vai estar mais cansada sim ( está 24 hs por dia produzindo um novo e único SER), estará mais sensível e emotiva ( mudanças hormonais),pode ter enjoos, inchaço, etc. capriche nos mimos e massagens mesmo, pois ela merece e seu bebê tbem!  

 Paternidade consciente é também colaborar para que seja um bom parto para mãe, vc e o bebê aconteça. Um parto respeitoso, amoroso, com profissionais que escutem e ajudem vcs a encontrarem o que precisam. Ouça sua pareceira, suas necessidades, se informe tanto quanto ela sobre o parto e nascimento, sobre as interveções que não precisam ser feitas nem nela, nem em seu bebê. Sobre a amamentação, que requer muito tempo, paciencia e apoio dos companheiros. Colabore com o silencio, preservando vcs de muitas visitas e  palpites desbecessarios…informe-se antes do parto. Se preparem para o parto e a paternidade/maternidade.

Paternidade consciente é também saber das leis que podem ajudar vcs dois a terem seu direitos respeitados, como por exemplo: lei do acompanha te, lei da doula, o contato pele a pelo preconizado no pós parto imediato, etc.

E a paternidade consciente vai além do parto, pós parto, da amametação , do puerpério e exterogestação…. é uma condutade Vida….de carater.

Ser Pai consciente é uma grande oportunidade de ser alguém melhor….as crianças tem o dom de fazer issos conosco….nos transformam, e muito e a cada dia….se assim permitirmos!!!
Conheço  muitos e muitos pais conscientes, pois trabalhando como Doula e ministrando cursos de Prepapo para o Parto, tenho a oportunidade de conhecer muitos casais, e a maioria deles já chega aberto pra conhecer e saber mais, seja sobre o parto ou maternidade e paternidade. E tenho a felicidade de ver homens se transformando em pais maravilhosos e usufruindo da Paternidade Consciente em grande estilo! E que maravilha….pois isso só gera famílias mais harmoniosas, crianças mais seguras e saudáveis, fisica e mentalmente! 

image

“ Paternidade ativa e consciente é quando o pai não é apenas um figurante, e sim, ele só não amamenta…ajuda a fazer dormir, dar banho, trocar, dar comida…ajuda no cuidado, cairnho, atenção e dando exemplo pra que ela se espelhe, e cresça uma criança correta, educada e cheia de amor. É ainda quando o parceiro e a mulher agregam, juntos pra formação da criança”. Edilson, pai de AnaLu. 👏👏👏👏👏👏👏👏Quero citar aki ainda alguns pais blogueiros e um pediatra querido e humanizado que admiro e indico que os leiam, ouçam e curtam 😘

image


⁠⁠A Giulia (4 meses) veio para a minha vida como a realização de um sonho! Desde o primeiro dia que descobri que seria pai senti que minha vida tinha uma extensão fora do meu corpo!! Quis participar de cada novidade, cada ultrassom, sentir cada mexidinha na barriga. Sempre passei pra ela todo o amor que sinto por ela desde o momento que soube que seria pai! O parto foi um momento único!! Vivenciar a chegada da nossa vida foi sensacional! Estar ao lado da mulher que eu amo e juntos podermos receber a nossa pequena foi lindo!! Um momento que jamais esquecerei. Precisava ter certeza que nossa filha chegaria ao mundo e teria na sua recepção todo nosso amor concentrado! Ela com certeza sentiu que ali tinha um pai e uma mãe que conceberam ela juntos e que não viam a hora dela vir ao mundo. Tenho até hoje a foto da camisa marcada com sangue como um troféu desse dia inesquecive!!

Dali em diante faço questão de estar ao lado dela e da Camila ( minha esposa) sempre que possível! Infelizmente a vida atribulada não permite que fiquemos grudados, mas busco aproveitar intensamente os momentos com ela!! Amo trocar ela, todos os banhos faço questão de dar desde a primeira semana, dou banho de ofuro, boto para dormir, troco fralda! Quando estou em casa sempre fico grudado nela! Quando não estou peço fotos e gosto de saber tudo que acontece!  Na verdade eu participo de todos os momentos da vida da nossa pequena! Não penso que devemos dividir atribuições mas sim nos unir em todas elas para que nós três  possamos curtir cada momento juntos! Cada coisinha nova conhecemos juntos. Acho fundamental vivenciar todos os momentos do crescimento dela porque o tempo voa. Não quero perder nada! Nossa ligação é muito mais do que física mas isso só faz com que eu queira ficar sempre grudado com ela. Quando estamos juntos não existem problemas no mundo! É só nós, a Giulinha e felicidade plena!

image


Há pais que superam as expectativas da participação. Que vão além do que se espera deles. Tive o privilégio de ter um pai assim. Após a separação, contrariando a maioria dos casos, eu e meus irmão fomos morar com meu pai. Ele assumiu a responsabilidade sozinho de nos crisr, educar, cuidar, e amar sozinho. Tenho um irmão com paralesia cerebral que teve todo cuidado necessário pelos esforços que meu pai dedicou a ele. Posteriormente casou-se de novo, com uma pessoa fantástica que só veio tornar essa nossa jornada mais feliz e recompensadora.  Por Priscilla Lucena. 


Quero citar aki ainda alguns pais blogueiros e um pediatra querido e humanizado que admiro e indico que os leiam, ouçam e curtam 😘

Blog do Cacá 
Paizinho, virgula
Pai pop
Tricô de pais - podcast


Um feliz dia dos pais pra todos Vcs que realmente são pais de verdade e merecem celebrar esse dia todos os dias!!!! E viva a Paternidade ativa e consciente!!! 

Lua Cheia - feminino em alta

image

Com o passar dos anos, trabalhando com grávidas, fui cada vez mais percebendo a influência das luas em nós mulheres…não apenas nos nascimentos, mas também nos trabalhos de partos e partos mesmo… no dia a dia de todas nós. 

Tenho uma admiração enorme pela beleza lunar, uma paixão mesmo  e estudar a lua, suas fases e toda influência que temos dela me inspira….

image

A lua representa a mãe, quem gera, quem cria, que dá a luz, quem nos traz a luz…não apenas a mãe biológica não, mas aquela aue acolhe, que cuida, que nutre…a mãe Terra, que recebe a todos nós.

E representa também o útero, o que gera, que traz vida, o único órgãop capaz de gerar uma nova e divina Vida! Então, lua cheia é um belo momento pra agradecermos tudo que há de mais belo em nós mulheres: nosso sangue menstrual, nossa gravidez ou nossa menopausa ( 3 fases diferentes, mas todas eleas com suas belezas e profundidade).

Hora de honrar as mulheres que vieram antes de nós, que lutaram por nós….e agardecer aquela que SOMOS, que nos tornamos…

Agradecer aquelas que virão através de nós ou mesmo, aquelas que cuidamos, criamos, nutrimos ( de corpo ou de alma), as que abraçamos, que rimos e choramos juntas…

image

A lua cheia nos dá força pra agir, pra colocar em prática nossos sonhos, lutas e desejos reais…então vá e alcance o que é Seu! 

Realize, crie, seja Você mesma, se respeite, se ame, se conheça cada vez mais e melhor e se amará mais e melhor….e conseguirá distribuir e partilhar esse amor ❤️🙏🏻🌕

Feira da Gestante em Santos tem palestras para grávidas e mães com bebês- agosto 2017

Palestras encontros mensais para gestantes e casais grávidos

image


Todo mês preparamos uma agenda de cursos, aulas, palestras e rodas pra que você que nos acompanha possa se organizar e também participar de nossos encontros e avisar as amigas….

Há cursos que participamos e ajudamos a organizar há mais de 5 anos…

Como o da Clínica Mar Saúde  que  acontece uma vez por mês em Santos, e é gratuito! Vcs podem ligar e agendar, pois o próximo será em 23 de setembro

É só ligar e garantir sua vaga!!!

image


O hospital São Lucas, em Santos, promove todos mês duas Rodas diferentes: uma pra gestantes e outra pra mães já com bebês. GRATIS tbém, só é preciso reservar sua vaga antes!!! 

image

Além das Rodas o hospital promove ainda  o Curso para os casais grávidos, com 4 encontros semanais e  om assuntos diferentes e interessantes para quem quer um Parto Ativo e adequado. Entre os palestrantes estão, a coordenadora do Projeto, a obstetra Izilda Pupo, o pediatra Sergio Almeida, a fisio Kesya, que ensina a trabalhar o períneo, a doula Adriana Vieira  que fala do preparo para o parto, e muito mais…reserve sua vaga ligando lá! 


image


Na Unimed Santos também há cursos para os casais, e duram 5 semanas. É gratuito também e énecessárioser conveniado para participar.

Entre os palestrantes estão a psicóloga Maria Claudia, o médico Roberto Debiski que fa,a sobre meditação e respiração, a doula Adriana Vieira que traz um trabalho sobre a importância do companheiro estar bem informado para colaborar no parto, a obstetra Izilda Pupo entre outros profissionais  como nutricionista, pediatra, e mais…


image


EM Bragança Paulistas as doulas Adriana Vieira  Mari Cordeiro e Patricia Marie conduzem as Rodas de Gestantes e acompanhantes, que acontecem toda última quarta-feira domês e com temas diferentes.

A contribuição é 20 reais e tem sempre um bolinho, cafezinho e chazinho pra adoçar nossa noite! Não é preciso reservar vagas, é só chegar lá no Espaço Cazelato.

Próximo encontro: 30 de agosto

image


Esse mês de agosto iniciamos os Encontros Maternos em Serra Negra, num espaço deliciosos, aconchegante e repleto de profissionais exemplares: a Clinica Inphinita, da fisio Camila Izar.

Os encontros acontecem todo mês por lá, bem como cursos de Shantala e outros ligados a gestação e puerperio

image

Em Socorro as Rodas de Mães acontecem na sede da Namaskar Yoga , bem como as aulas de Yoga Pré natal, curso de Shantala, massagem em bebês e ainda de Preparo parao Parto, para os casais.

As aulas de yoga acontecem todas as segundas e quartas: 19 hs

image

E em Socorro também ministramos cursos e workshops para mães com bebês e gestantes , no Projeto Mandala, um local incrivel, lidissiomo e idealizado pela Dra Beatriz, pediatra e acupunturista . O local conta c uma deliciosa mandala de ervas naturais, muita área verde e u,a paz incrível.

Lá ministramos o I Curso de Shantala para måes om bebês em julho, e agosto e setembro teremos novidades!!! 

Aulas de Yoga Pré Natal + educação perinatal, por Adriana Vieira

image


As aulas de Yoga pré natal com Educação Perinatal foram criadas eelaboradas pela doula, educadora perinatal e instrutora de Yoga, Adriana Vieira, com o objetivo de ir além da prática, para que as gestantes possam entender e conhecer ainda mais as mudanças que acontecem em seu corpo, mente, emoções e os hormonios que modificam e nos trazem muitas novidades.

Durante essas aulas, que tem duração de uma hora e meia, além da prática, as gestantes podem tirar dúvidas num bate papo mais pronfundo e esclarecedor.

As aulas acontecem  todos mês e em cada aula procuramos trabalhar diferentes grupos musculares e tirar dúvidas diversas também.

Fortalecimento de assoalho pélvico, flexibilidade e força do períneo, Respiracões que acalmam e também para a hora do parto fazem parte de nossas aulas. 

Confira aki nossas próximas aulas e mais detalhes

http://materniteconsultoria.com.br/evento/yoga-pre-natal-educacao-perinatal/

Julho 2017 - relatos de partos e emoções...

Lindos partos, muitas emoções e casais queridos, unidos, fortes que passaram por experiências especiais!!! 

Em Santos, o hospital São Lucas tem o Programa Parto Adequado, coordenado há dois anos pela obstetra humanizada Izilda Pupo, e lá acontecem partos bem bacanas e numa sala especial para parto normal, com todo conforto e privacidade! 

Aqui algumas das experiência desse mês de julho contadas pelos casais Adriana Leão e Leo, e tbem por Vanessa e Lincon…

Doula Adriana Vieira

image
image
image
image




image

Semana Mundial do Aleitamento Materno - a Hora do Mamaço - 5 de agosto

image

Lá nos idos de 1991, quando tive minha primeira filha, Aline, além de ganhar esse Ser iluminadinho de presente, e conheci outro alguém também muito especial, a Pediatra keiko Teruya, de quem me tornei amiga e admiradora desde nosso primeiro encontro. FOi ela que me ensinou que eu tinha o poder de nutrir minha filha, e aliás, meus 3 filhos..Thales (hoje com 24 anos) e Dora com 4, e que seguimos com a amamentação até os 3 anos e 2 meses, o que foi maravilhoso pra nós! 


image


Na época em que tive Aline (hj com 26 anos), fazia faculdade e trabalhava e achei que não daria conta de tudo…mas dei, e porque tive muito apoio e boas informações na hora certa. Dra keiko foi luz em meu caminho… e há mais de 26 anos atrás….aliás, ela, a Dra Lais Graci, o Dr Jaime Murahovschi, além do trbalho magnifico que fazem como pediatras, salvam e salvaram muitas vidas de bebês, com o incentivo à amamentação, em regiões carentes na cidade de Santos, e depois, se tornaram consultores em em diversas regiões de nosso país e então hoje, ainda fazem um trabalho maravilhoso em prol do aleitamento materno.

E foi com a Dra Keiko que  aprendi sobre a “ Semana Mundial do Aleitamento materno” todo mês de agosto,  e com o incentivo dela e de outras mulheres me comprometi há 4 anos a organizar os encontros chamado a Hora do Mamaço, em Santos, que fazem parte da Semana Mundial, mas são eventos locais organizados por mães, como eu e você. Esse ano teremos cerca de 100 cidades participando, e qualquer cidade pode fazer parte.

Basta juntar algumas pessoas e marcar um local e horario em sua cidade e avisar a pagina oficial da A Hora do Mamaço no facebook e então se comprometer a passar informações sobre amamentação, de acordo com o preconizado pela OMS: livre demanda, leite materno é forte, dar um peito em cada mamada, nao existe leite fraco, etc, etc, etc…existem cartilhas do ministério com todas essas informações e aue podem ser distribuídas nos eventos.

image

Esse anos de 2017 o evento em a coordenação de Nara Assunção, jornalista, mãe da Luna, que amamenta e sempre prestigiou e incentivou os outros mamaços.

Quem vai estar por lá também mais uma vez é a enfermeira Sandra Abreu, que é consultora em amamentação e que ajuda muitas mães a descobrir seu proprio potencial em amamentar…


image
image

Confira a programação do Mamaço em Santos

image


 Eu e mais duas doulas da cidade de Socorro iremos organizar o mamaço por lá pela segunda vez! Vamos incentivando a cada ano mais mães, pais, avós e profissionais, para que os bebês possam usufruir dos benefícios do leite materno como nutrição e amor, pois ambos são necessários para o desenvolvimento humano. Espalhem as boas infornações tbem…espalhem o mamaço!!! 

image

Roda de Gestantes em Bragança, toda terceira quarta do mês

E iniciamos nossas Rodas de Gestantes em Bragança, no Espaço Cazelato, Eu, Mari Cordeiro e Patrícia Marie. Foi nesse 31 de maio, 19 hs e vamos ter cada mês um assunto diferente pra conversar, explicra, troca ideias, refletir, ensinar e aprender!!!

Essa primeira edição foi mais que especial, com a presença de gestantes, casais grávidos, profissionais de diversas áreas da saúde, doulas e ainda a participação da Dra Sylvia Freire, obstetra humanizada que conduz um grupo em Atibaia, o Maria Flor - assistência à gestação, parto e pós parto.

Turma linda!!!!

E todos mês teremos também um sorteio de um presente da loja online Grão de Gente, que nos prestigiou com uma almofada de amamentação dessa vez. Linda demais!!!

A fotografa Regiane Takahashi também estará sempre por lá com a gente clicando nossos bons momentos!!! 

Gratidão a todos e até junho!!! 

image

Chá de Bençãos - despedida da barriga

Muitas gestantes perguntam hoje em dia sobre o chá de bençãos e a diferença entre esse chá e o chá de bebê, e as diferenças são muitas.

image

Adriana Vieira, Patrícia Marie, Carol Mazzolini e Je

O chá de bençãos tem a intenção principal de abençoar mãe e bebê e ser um rito de passagem dessa mulher que irá se tornar mãe, de filha, se tornará mãe, entre outras grandes mudanças, e que merecem uma atenção especial!!! 

É um ritual dessa passagem, trazendo tudo que Ela precisa pra se sentir pronta para o parto: segurança, acolhimento, cuidados ( pode ser massagem, uma leitura de um texto especial, escalda pés, etc) e todas envolvidas participam.

É um momento de alegria, encorajamento, empoderamento rumo à nova fase: a maternidaden 

O chá pode ser conduzido pela Doula, como era de costume, mas se a gestante não tiver uma doula ainda, pode ser feito por uma amiga especial ou uma mulher da família também.

O importante é aue todas estejam em sintonia e focadas em doar amor, boas palavras, bons pensamentos, boas energias para a mãe e para o bebê.

image

A comida também faz parte desse ritual, e a gestante pode escolher cozinhar para todos que irá receber ou que cada convidada traga um prato para juntas saborearem.

Nos chás que conduzo gosto muito de ter um momento para o casal visualizar o parto, e as rodas feitas ao redor da gestante - e ela fica ao centro - também são parte dessa benção e fortalecem nossos votos de boas energias para ambos: mãe e bebê! 

image

No chá da Patrícia, uma amiga especial fez desenhos e mandalas na sua barriga. Um grande amigo da família ministrou imposição de mãos e boas energias e eu e outra doula amiga fizemos escalda pés e acendemos velas, e cada um dos participantes ( nesse caso haviam homens, mulheres e crianças) disse uma mensagem de amor para eles. 

Comemos frutas e sucos ai ar livre e trocamos e doamos muitas boas energias ao casal e ao Pedro, que chegou logo logo após o chá! 

No chá da Mari, o encontro foi para mulheres, e ela cozinhou para todas! Nos ensinou ainda  a fazer um xampu natural ( já que ele é expert nesse assunto de cosméticos naturais e aromaterapia)  e depois rolou o chá de bençãos, com a presença das crianças e amigas. Todos fizeram suas pinturas na barriga da Mari, inclusive as crianças…

Mariana e Maria Inês, sua filha mais velha, ficaram bem juntinhas, durante a roda, a cantoria, a dança e receberam todas nossas bençãos repletas de amor pra esse novo ser de luz que logo virá nos brindar! 


image

Mãe, por autora anônima 💖


Um mail muito especial….e quero guardar….no coração e pra sempre!!!

Alguém acha que eu não sou desse planeta, não conhece minha mãe! 


Ela veio pronta pra frente da batalha, durana e forte apesar de ser toda a sensibilidade e inocência.
Ela vai pra frente, defende e fala, doa a quem doer (e, normalmente, doí.)

Sensível demais pra entender como as coisas funcionam na vida real…Ela muda, Ela faz acontecer, e questiona. Como pode ser tudo isso assim? Sim, ela  é! 

Cresci no seu mundo mae, e não podia ter tido uma oportunidade melhor.
Hoje sou grata a tudo isso que você me fez e me ensinou..
a não acreditar que a vida eh algo alem do que os seus olhos veem.
o que te doi e te motiva é o que nos faz querer ser.
e dessa motivação vivo minha vida.

Você que me deu a luz tantas vezes, das mais diversas formas
que me faz crescer e renascer e evoluir,
independente de quem esteja no papel de fortaleza. nos somos.

Sempre quebrando todos os padrões em tudo..
trabalhos, relacionamentos, todas suas visões do mundo
visão do coração ….

….antes de alguém pensar em fazer.. você sempre ja sabe. (rs)

Devo tudo a você. toda a minha verdade, toda a sua, em tudo.
toda minha gratidão ao ser humano que você é, e a toda oportunidade que, hoje, vejo que tive de vivenciar essa vida com você.

karmico ou não, nosso nó é eterno e curado.
hoje, eu não mudaria nada do que vivemos.
te amo com todo meu coração

Older Posts

Custom Post Images