O desmame de Dorinha #dicasdedorinha - 2 anos e meio

image

Sim, faz dez dias que aconteceu nosso desmame! Posso dizer que assim como o amamentar é algo feito em dupla, uma parceria, o desmame também é!

Não é algo fácil, digo mentalmente, mas por aqui o desmame rolou bem, bem como a amamentação também.

Dorinha completa 2 anos e meio nesse dia 23 de dezembro, e eu já completei meus 45 anos. Uma fase hormonal que não tem sido fácil: calores, suores, desconfortos,  altrações de humor, menos libido, entre outras questões, e eu preciso resolver aqui dentro de mim algumas questões pessoais, bem íntimas, então, decidi que seria meu momento de desmamar, caso Dorinha também estivesse preparada.

Nunca pensei em desmamar de uma vez, e nem queria que fosse algo ruim pra ela, ou pra mim. Simplesmente acordei a achei : esse é nosso dia, e comentei com ela que a partir de sexta-feira a gente ia ter nova vida…sim, costumo conversar com ela, desde sempre, e numa linguagem clara e natural. Ela me entende :-)

Ela ainda mamava todos os dias, várias vezes, e algumas dias gostava de trocar o almoço ou janta pelo mama, e isso não me agradava não. De madrugada ainda acordava 2 a 3 vezes pra mamar, mas isso pra mim nunca foi problema. Do mesmo jeito que acordo, durmo de novo.

E nossa vida a duas sempre foi assim, em todos os lugares que estivemos nesses dois anos juntas, Dorinha mamou: no primeiro parto que acompanhei logo após minha quarentena, lá estava ela pra mamar, em todas as viagens, passeios, restaurantes, rodas de mães, em Manaus, Santos, Socorro, uma pausa na aula de yoga pra amamentar, enfim…assim é a livre demanda! E nunca vou me esquecer desses momentos tão lindos, tão íntimos, seu olhar de agradecimento ao mamar, seu toque, nossos momentos mais sublimes, sutis,e íntimos…sem palavras pra poder dizer o quanto a amo, e amo esses nossos momentos…mas, nova fase chegou…

image
image
image
image


Bom, então, na sexta-feira passada, dia em que coversamos, ela perguntou se não saia mais leitinho do mama, e eu disse que não, que tinha parado de sair leitinho. Ela quis ver, avaliar, e pediu pra mamar, então eu achei por bem falar que o mama estava dodói! Ela comentou: tadinho! E foi brincar!

Achei que a noite teríamos problemas pra dormir, já que geralmente dormia no peito, a não ser quando eu saia pra partejar e ela ficava com meu marido ou meus filhos mais velhos, e dormia com eles. Mas comigo, era sempre no peito.

A noite chegou, ela perguntou se podia mamar, eu reafirmei: não tem mais leitinho! Ela então pediu pra ficar no meu colo, se aconchegou, e me pediu chazinho, que tem costume já de tomar de tarde. E então, dei o chazinho e depois de alguns minutinhos Dorinha dormiu.

Sábado e domingo conseguimos ficar juntas, e foi mesma coisa…perguntava do mama, do leitinho, e se conformava. Pedia o chazinho, já que aqui não temos o costume de tomar outros leites, nem chocolatado, etc, o chá e sucos de frutas tomaram novo lugar nas noites antes de dormir.

Na segunda foi pra escola, e avisei por lá que estávamos nessa fase, caso percebessem alguma reação diferente nela, mas foi tudo tranquilo.

A semana passou, e pra pegar no soninho da manhã, que ela faz as 11 hs geralmente, alguns dias ela se mostrava nervosa, sem saber direito o que queria. Mas era o peito, eu sabia…e eu tive vontade de dar novamente, me sentia meio egoísta, sem oferecer o peite, mas pensei…tenho meus porquês, e já estamos caminhando bem, vou continuar sem dar o peito, e então, mais tarde tentei ordenhar e vi que realmente não tinha mais leite. Era nosso quarto dia sem as mamadas. Me segurei (tive vontade de chorar ao ver que realmente o leite secou), mas fiquei firme, dei colo pra ela e cantei pra que dormisse. Deu certo mais uma vez!

De noite, na quinta-feira, ela pediu pra eu deitar com ela  pra dormir, e então, ao inves de dar o peito, comecei a contar historinhas, e nessa historia comecei a falar sobre ela, a menina que é, seu desenvolvimento, crescimento, etc…ela dormiu em dez minutinhos…e assim foi!

Nessa sexta, ela resolveu dar mama pra boneca dela, dizendo que a neném dela queria mamar um pouquinho, então deixei as duas no sofá, e fui fazer o chazinho dela, e então, as encontrei assim…dormindo juntinhas!

image


A semana se passou, e hoje, domingo, estamos no décimo dia sem mama.

Posso dizer que pra mim não foi tão fácil quanto imaginei que seria, mas eu precisava e fiz a coisa certa pro meu momento de vida. Posso dizer que senti que pra Dorinha foi mais fácil do que eu imaginava. Ela está ótima, e hoje já não lembrou do mama. Tem almoçado bem e jantado melhor.

Assim como falei lá no início, creio que o desmame tenha que ser conjunto, e antes de mais nada, muito consciente!

Creio que cada mulher tenha seu tempo, cada bebê sua maturidade e o binômio precisa encontrar o melhor jeito e o tempo melhor para os dois.

Não há fórmulas, apenas dicas e relatos pra compartilhar! Assim como é com a gestação, o parto e a maternidade. Vamos nos descobrindo e abrindo um novo leque de aprendizado, e assim espero que se sintam quando tomarem uma decisão: que seja com amor, consciente e o melhor pra vcs!

Li várias vezes o livro de Laura Gutman, chamado : A Maternidade e o encontro com a própria sombra”, e indico muito para as mulheres que acompanho, seja dando aulas de yoga pré-natal, ou mesmo as doulandas, que acompanho o parto e nascimento.

A autora fala muito dos nossos medos, dos nossos limites e até da imaturidade pra sermos mães, e nos tornarmos cuidadoras de outro ser. Sinto que a maturidade é algo essencial para encararmos cada processo da vida, cada vez melhor, e claro, pra fazermos essas escolhas na melhor hora para a gente e pro nosso bebê!

Quantas vezes ouvi de amigos, parentes e até profissionais dizerem pra eu parar de amamentar que ‘já era hora certa’ : Digo a todos: não, não era não!

A hora era agora, minha e de Dorinha, e assim fechamos nosso ciclo de amamentação, felizes da vida!

E agora nossas fotinhos serão assiim : felizes, juntinhas, mas sem o mama!

image